8 de nov de 2007

Ciúme, o marvado



Peço licença para fazer aqui um momento Linha Direta:



Floripa, 26 de junho de 2007

Caso: rapaz de 23 anos mata, com tiros nas costas, um professor de Educação Física em plena arquibancada da quadra do colégio, durante a disputa dos jogos escolares de Biguaçu, vilarejo de Florianópolis.

Motivo: o assassino era ex-namorado de outra professora da escola. Ao vê-la sentada ao lado da vítima, saiu transtornado, foi buscar a arma e pá! Mandou o suposto novo ‘affair’ para o outro mundo.

Frase: “Vamos orientar os diretores das escolas para fazer o possível para que as crianças não fiquem com esse dia marcado na memória. O que aconteceu foi uma brutalidade. Mas devemos entender que foi um fato isolado”.
(Secretário da Cultura, Esporte, Turismo e Lazer)

Brasília, 6 de novembro de 2007

Caso: garoto de 12 anos é levado pela irmã, 13, até um matagal, para ‘caçar passarinhos’. Lá chegando, encontra seu outro irmão (por parte de pai), 17, aguardando com um fio de náilon na mão. O menino é enforcado e abandonado no local.

Motivo: os dois irmãos mais velhos, mentores do crime, eram amantes (pode acreditar). Pretendiam simular um seqüestro com resgate estipulado em 45 mil reais, e depois fugir juntos. O ato foi idéia inicial do rapaz, que considerava o caçula protegido do pai, enquanto ele, sem trabalhar e estudar por opção, era desprezado.

Frase: “Ele era filhinho de papai, tinha tudo que queria. Não era justo”
(Irmão mais velho e autor do crime)

Belo Horizonte, 7 de novembro de 2007

Caso: após discutir em seu quarto e fugir para o banheiro de sua casa, estudante de psicologia de 21 anos é morta com 13 tiros por seu ex-namorado, 24, estudante de direito. Após o assassinato, ele se dirigiu até a biblioteca de sua faculdade (9º andar). Por celular, se desculpou com a família dela, refletiu por alguns momentos e se jogou pela janela.

Motivo: o namoro de 7 anos do casal fora rompido por ela havia uma semana. Inconformado, o rapaz foi à sua casa, munido de duas pistolas. Quando percebeu que ela não voltaria, atirou contra a porta do banheiro até ela abrir e ele ver a moça caída no chão, sem vida.

Frase: “Era um casal lindo. Ela já fazia parte da nossa família. Quando a Érica pediu ao Roberto um tempo, ficamos todos torcendo para que fosse apenas uma fase.”
(tio do assassino)


TRÊS HISTÓRIAS, um vilão: o ciúme. Por causa dele, ou melhor, do descontrole que ele causa, quatro vidas foram tiradas. Todas elas de pessoas jovens e que nada fizeram para merecer o fim que levaram. Como é complicado o ser humano, e como é difícil para as pessoas aceitar o 'desamor'. Só mesmo sendo um ET ou um budista (praticante) para se ver completamente livre de tais sentimentos. Como a grande maioria de nós nasceu nesse planeta e vê a religião de Sidarta como ficção, nos resta a divagação abaixo:

Ciúme é como o álcool. Se você não controlar, ele te consome, e você passa a viver em sua função. Ele estará sempre presente na sua vida. Em doses pequenas, grandes e em porres homéricos. Cabe a você saber dosá-lo para que ele não mostre que, na verdade, você não passa de alguém carente, inseguro e solitário.






2 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom este destaque e principalmente a frase final, que infelizmente é muito verdadeira............Parabens!!Elie

Vince disse...

Opa, valeu Tiozão!!!!!!!!

Related Posts with Thumbnails