30 de jun de 2008

Euro Party!

APÓS TRÊS SEMANAS de muita algazarra, demonstrações de amor - e ódio - à pátria, milhões de camisas vendidas e aquele saboroso intercâmbio cultural, futebolístico e carnal, chega ao fim mais uma Eurocopa. Entre vodkas do leste europeu, dancinhas bizarras e fantasias pra lá de inusitadas, tivemos poucas surpresas agradáveis - o título espanhol e as surpreendentes Rússia e Turquia - e muitas decepções, como o futebol abaixo do nível da mediocridade de seleções tidas como favoritas (França, Itália, Suécia, República Tcheca).

Apesar da narração deplorável do bola fora Éder Luís (a despeito dos comentários sagazes de Milly Lacombe), gostei dessa "Copa do Mundo sem Brasil e Argentina". Confesso que esperava mais do Portugal de Cristiano e Felipão, e da extraordinária seleção holandesa. Assim como esperava menos das valentes Rússia (do mago Guus Hiddink), Turquia e dos próprios finalistas: a Alemanha, um time de robôs supernutridos, e a Espanha, um razoável apanhado de coadjuvantes de seus clubes, enaltecidos e valorizados com o título conquistado 44 anos após o primeiro triunfo da Fúria no torneio.

Como meus colegas de imprensa praticamente esgotaram os comentários a respeito da competição, divido com vocês algumas imagens da Euro 2008*. Ah, se no Brasil o futebol fosse essa festa!

Torcida alemã se reúne para ver a final no Anhangaba de Munique

Il Minnies italianas. Mamma mia!

Ballack na final, após cutuva no supercílio

Casal alemão homenageia seus pula-cercas

Spanish power!!!

Foto para a galeria das imortais (dá-lhe Marcos Senna!)

Aragones: 68 anos, pé quente e respeito da armada espanhola

Fernando 'El Niño' Torres em seu único momento brilhante na Euro: bastou!

Torcedor português em dia com a manicure

Holanda estufa as redes: início avassalador

Zé Bonitinho de saia e tamancos

Donadoni e a Azurra: festa parou no pôster

Repórter espanhola e seu singelo harém

Turcada comemora: festa da napa

Henry lamenta: o escargot pesou

Russas mostram a garrafa da marvada de lá

Arshavin joga uma torta holandesa na cara dos Van

Felipão em pose típica

O goleirão turco Rüstu salta para defender penalidade

Molecada croata faz a festa


*Todas as imagens foram tiradas do site oficial da Euro 2008.



29 de jun de 2008

Calendário Arigatô - ainda tá valendo, né?


PITAGORICAMENTE HOJE chegamos à metade do ano, o que significa que você agora tem apenas metade do tempo para fazer tudo que se propôs depois de pular as ondinhas e mandar a rolha pro espaço.

6 meses para mudar de atitude, 6 meses para cumprir suas promessas. 6 meses para perder essa pança acumulada, 6 meses pra sair do platônico para o téte-a-téte. 6 meses para ligar praquelas pessoas que você adora, más dá uma preguiiiiça....

... e 6 meses para curtir todos os dias, na tela do seu computador, o inigualável Calendário Arigatô - um pout-pourri com as japas mais tesudas da terra do sol nascente.

As imagens - e as modelos - são de altíssima qualidade. Como aqueles chow-chows da sorte, elas vão te acompanhar em seu dia-a-dia, dar uma forcinha extra para você não esquecer de seus compromissos e servir de talismã praquelas horas de perrengue e indecisão. Um presentaço para fechar com cadeado de ouro as comemorações do centenário da imigração nipônica.


Dá um flagra no chassi da Miss Maio...




Cordialmente,




EM CARTAZ: Agente 86

DESDE O DIA QUE Shrek deu o enxofre da graça nas telonas, as pessoas colocaram para fora sua inclinação pelos anti-heróis: tipos alternativos, carismáticos, canastrões e - veja só - feiosos. Além do ogro da Dreamworks, a síndrome de Macunaíma inclui os Monstros S.A, os Piratas do Caribe, os personagens centrais de Harry Potter e agora o Agente 86, um 007 às avessas muito bem acompanhado.


AGENTE 86
('Get Smart', 2008)
Comédia, 110 min.


Direção: Peter Segal
Roteiro: Tom J. Astle e Matt Ember, baseado nos personagens criados por Mel Brooks e Buck Henry
Com: Steve Carell, Anne Hathaway, Alan Arkin e Dwayne 'The Rock' Johnson

Sinopse: Um ataque-surpesa à sede da agência CONTROLE faz com que Maxwell Smart (Carell) seja finalmente promovido a agente, ganhando o número 86. Agora, ao lado da charmosa agente 99 (Hathaway), ele precisa combater os russos malvados da KAOS, que pretendem explodir o mundo.

Bastidores:
* Jim Carrey esteve cotado para interpretar Maxwell Smart;
* Jennifer Love Hewitt e Rachel McAdams estiveram cotadas para interpretar a agente 99, papel que ficou com Anne Hathaway;
* As filmagens ocorreram entre 21 de março e 25 de junho de 2007;
* O orçamento de Agente 86 foi de 80 milhões de dólares - só no fim de semana de estréia (nos EUA e Canadá), já arrecadou US$39,9 milhões.

♠ Informações retiradas do site AdoroCinema

Por que assistir: não é por acaso que Steve Carell desbancou Jim Carrey para se tornar o top comedist de Hollywood. Ao contrário do rival careteiro, Carell não força a barra para ser engraçado - seu humor é inocente e contido, casando perfeitamente com seu jeito 'nerd' de atuar - a medida exata para o Agente 86.

Ao assistir filme, as risadas saem espontaneamente, quase a todo momento. As cenas de ação são dignas dos melhores momentos de James Bond, e a química entre Carell e Hathaway (de 'O Diabo Veste Prada', estupenda) é tão forte que já faz os produtores pensarem em uma sequência. O único senão fica por conta das inúmeras cenas com aquelas piadinhas idiotas que os americanos adoram - cocô, vômito, gordas destrambelhadas, bunda à mostra -, que acabam forçando a barra e deixando sorrisos amarelos desnecessários. É a velha mania Wood de pecar pelo excesso.

Trailer:



Avaliação: @@@@ FILMAÇO!




21 de jun de 2008

Pobre Portuga...

O VIGIA DO BANCO chega ao trabalho todo sorridente, feliz da vida. Estranhando o bom-humor incomum naquela hora do dia, seu colega português lhe pergunta:

- Posso sabeire por que estás a gargalhaire à toa?

Ele responde:
- Ah, portuga... É que tive uma noite maravilhosa. Estava mandando bala na minha mulher, e quando estava quase lá, peguei a minha arma e pá! - dei um tiro pra cima. Ela levou um puta susto, comprimiu a periquita e eu fui ao delírio, foi incrível... Pô, por que você não faz a mesma coisa? Posso te emprestar a arma!

E lá foi o português...

No outro dia, o portuga chega ao trabalho com aquela cara nadegal. O vigia logo se adianta:
- Mas que cara é essa, homem? Não deu certo?
- Deu certo uma pinóia! Estava lá eu a fazeire um sessentinove com Maria, e quando estava quase a chegaire lá, saquei a pistola e atirei. Sabes o que me aconteceu??? Maria levou um baita susto, deu uma dentada no Manoelzinho, cagou na minha cara e ainda me sai o desgraçado do vizinho de dentro do armário a gritaire: "NÃO ME MATE, POR FAVOR!!!"



18 de jun de 2008

Pula a Fogueira, Iaiá! (Prólogo)


BRASILEIRO ADOOOOORA uma festa. Gosta tanto, mai tanto, que não passa um mesinho sequer longe da farra e das comemorações. Não é bem assim? Então vem comigo:

Janeiro dispensa comentários. O 1º mês do ano chega sempre carregado de otimismo, bom-humor e esperança de fazer daquele o ano Jerry Maguire, deixando todos os problemas serem levados pelas ondinhas puladas em seu nascimento.

O Carnaval é tão intenso e rende tantas rodadas de risadas e remembers que ocupa sozinho Fevereiro e Março - este também o mês das mulheres. 11 para nós, 1 para elas. Justo, vai...

Para Abril, além de dois feriados seguidos, está reservada a Páscoa (que se reveza com Março, pra fazer uma média). É coelhinho daqui, coelhinho de lá, e chocolate até o cu fazer bico dizer chega. Maio já começa em festa: feriadão logo no primeiro dia (ironicamente, o dia do trabalho - vai entender). É também o mês das noivas e do Dia das Mães. E dá-lhe flores, celulares, perfumes e restaurantes cheios de famílias de todos os tipos, sotaques e tamanhos.

O frio dá um charme todo especial a Julho e Agosto. Motivo para fondues, chocolate quente, viagens para exibir os cachecóis e casacos de pele e dormir de conchinha. Ô, diliça... Como adicionais, Julho ainda tem as férias de meio de ano das crianças e Agosto o Dia dos Pais, quando as marcas de cueca fazem aquelas campanhas ridículas. Vai cachorro louco!

Setembrão, além do feriadinho básico, é o mês em que chega de viagem a nossa ilustre prima Vera, com aquele jeitão todo dela: vestido esvoaçante, florzinha na cabeça e olhar sedutor. Pode dormir no meu quarto se quiser, viu prima... Outubro tem feriado (novidaaaaade!) de Dia das Crianças. Na verdade as celebrações deveriam ser pra mãe do Homem, mas sacomé... Aqueles brinquedos encalhados na loja precisam de uma forcinha pra sair, né?

Novembro, além do feriado em dose dupla, tem agora o Dia da Consciência Negra - uma das raras bolas dentro do presidente. Além disso, é o mês que chega com aquela sensação de 'putz, o ano tá quase indo embora e não fiz metade do que precisava. O pior: as férias tão chegando e eu tô uma bola. É, vou aproveitar meus últimos dias de curtição e bar e mês que vem faço um intensivão na academia!' O pior é que 'o mês que vem' é Dezembro. E aí já viu: festa de despedida da empresa, da galera da escola, faculdade e ceias (shyrius, yogas, ikkis) intermináveis de natal.

Agora Junho é um mês tão privilegiado, tão único, tão... junho, que merece um parágrafo só para ele. Em apenas 30 dias, temos tanto motivo para comemorar que acabamos até esquecendo de quem faz aniversário neste mês. Tem feriadão belezura prolongado (quando rola a desarrochada e colorida parada do orgulho GLS), Dia dos Namorados, Ficantes e Peguetes (e gandaia dos solteiros), festas de peão e claro: arraiar todo final de semana. Com direito a quadrilha, quentão, pescaria, pinhão, barraca do beijo e um festival de paçoca. É muita emoção prum mês só!


E já que estamos no mês premiado, convido toda a patota para deixarem aqui seus posts juninos. Vamacordá, Penteiada???

ÓIA COBRAAAAAA!!!!!





6 de jun de 2008

O (nada) fantástico mundo de Bobby


DIA DESSES, tomei vergonha na cara e resolvi lavar o meu emporcalhado carro. Peguei as chaves e saí em direção à garagem, quando me deparei com a correspondência em cima da mesa.

OK, vou lavar o carro, mas antes vou dar uma olhadinha, vai que tem alguma coisa urgente... Ponho as chaves do carro na escrivaninha ao lado e, passando o olho nas cartas, vejo que tem uma pá de contas para pagar e um punhado de propaganda inútil, que vai... direto pro lixo.


Epa! O cesto de lixo está cheio. Vamos esvaziar: coloco as contas de volta na escrivaninha, mas acabo de lembrar que tem um caixa eletrônico pertinho de casa. Lá vou eu pagar as contas. Boto o cesto de lixo no chão, pego as contas e vou em direção à porta.


Droga! Onde raios foi parar o cartão do banco? Hmmm, no bolso da jaqueta que vesti ontem, claro. Ao passar pela mesa de jantar, bato o olho na cerveja que estava bebendo. Vou buscar o cartão, mas antes vou guardar a cerveja na geladeira – fica aí que já acabo com você, lorinha.


Lá vou eu para a cozinha, quando me deparo com a plantinha no vaso murchiiinha, murchinha. É melhor pôr água antes. Coloco a cerveja de volta na mesa da cozinha, quando... Rá! Achei os meus óculos, estava à procura deles há horas! Pra caixinha, já!


Pego um jarro, encho de água e vou em direção ao vaso. Caramba, largaram o controle remoto da televisão aqui em cima! À noite quando for ligar a TV, ninguém vai se lembrar de procurar na cozinha. É melhor ele voltar para a sala.


Ponho os óculos sobre a mesa, e pego o controle. Com a outra mão, rego a planta, mas... Ô catso! Caiu METADE no chão. O controle remoto espera no sofá, e vou buscar um pano.


Ando pelo corredor e penso que está mais do que na hora de trocar a moldura desse quadro. Tá pavorosa! Perdidão no meio do corredor, já não sei o que é que ia fazer... Ah, os óculos, claro! Mas depois, primeiro o pano. Pego ele no balde e vou em direção ao vaso, mas eis que no caminho me deparo com o cesto de lixo cheio. AAAAAAAAAAAAAAAAHHHH!!!!!


Saldo do dia: o carro continua imundo, as contas não foram pagas, a cerveja está lá suando, a planta levou só metade da água, não sei em que buraco negro caiu o cartão do banco e muito menos onde está a maldita chave do carro.


Mais um dia desperdiçado. Mas que merda, fiquei ocupado o dia inteiro!

Acho que preciso ir num médico... É, um médico resolveria o meu problema. Vou procurar o telefone do consultório na agenda. Mas peraí, que antes vou ver se chegou email novo...


(Autor desconhecido)





1 de jun de 2008

Morrer é pra quem pode

PEÇO LICENÇA ao Vince, o poeta do Clube, para postar um excerto de Fernando, poeta de raro talento e muito boa Pessoa. Aqui ele mostra - com a destreza daqueles poucos que sabem ser universais e atemporais sem soar intransigentes - como a morte pode ser nossa aliada, e como a partir dela uma sorte de oportunidades podem surgir, muitas convicções podem mudar e novas vidas podem brotar. Boa morte a todos!

Morrer é preciso (FP)

A morte nada mais é do que uma passagem, uma transformação. Não existe planta sem a morte da semente, não existe embrião sem a morte do óvulo e do esperma, não existe borboleta sem a morte da lagarta... A morte nada mais é que o ponto de partida para o início de algo novo, a fronteira entre o passado e o futuro.

Se você quer ser um bom universitário, mate dentro de você o secundarista aéreo que acha que ainda tem muito tempo pela frente. Quer ser um bom profissional? Então mate dentro de você o universitário descomprometido que acha que a vida se resume a estudar só o suficiente para fazer as provas.

Quer ter um bom relacionamento? Então trate de matar o(a) jovem inseguro, ciumento, crítico, exigente, imaturo, egoísta ou o solteiro solto que pensa que pode fazer planos sozinho, sem ter que dividir espaços, projeto e tempo com mais ninguém. Quer ter boas e sinceras amizades? Então mate dentro de si a pessoa insatisfeita e descompromissada, que só pensa em si mesma. Mate a vontade de tentar manipular as pessoas de acordo com a sua conveniência; respeite o jeito de ser de seus amigos, colegas de trabalho e vizinhos.

Enfim... todo processo de evolução exige que matemos o nosso ‘eu passado’, nosso ‘eu inferior’.

E qual o risco de não agirmos assim?

O risco está em tentarmos ser duas pessoas ao mesmo tempo, perdendo o nosso foco, comprometendo nossa produtividade, e, por fim, prejudicando nossa felicidade autêntica. Muitas pessoas não evoluem porque ficam se agarrando ao que eram, não se projetam para o que serão ou desejam ser. Elas querem a nova etapa, sem abrir mão da forma como pensavam ou como agiam; acabam se transformando em projetos acabados, híbridos, adultos infantilizados.

Podemos até agir, às vezes, como meninos e meninas, de tal forma que não mantemos as virtudes de criança que também são necessários nos adultos, como a brincadeira, o sorriso fácil, a vitalidade, criatividade, tolerância etc. Mas, se quisermos ser adultos e encararmos as responsabilidades de peito aberto, devemos necessariamente matar as atitudes infantis e descompromissadas, para passarmos a agir como adultos.

Quer ser alguém (líder, profissional, pai ou mãe, cidadão ou cidadã, amigo ou amiga) melhor e evoluído? Então, o que você precisa matar em si é o medo de mudar, a preguiça de agir e o egocentrismo, para que nasça o ser que você tanto deseja ser.


Pense um pouquinho nisso e morra...
Mas não esqueça de nascer melhor ainda.






Related Posts with Thumbnails