31 de dez de 2007

2007 = Girls rulez!

Amy, Paris e Lilly: atitude de sobra


'Eles tentaram me mandar para a reabilitação,
mas eu disse
não, não, não
Sim, eu tenho estado mal
mas quando eu melhorar, você irá
ver, ver, ver
Eu não tenho tempo
e se meu pai acha que estou bem
Ele me fará ir para a reabilitação, mas eu não
irei, irei, irei...'

A LETRA ACIMA lhe parece familiar? Trata-se do começo de Rehab, a música mais festejada do ano. Sua autora e intérprete é Amy Winehouse, a garota de 23 anos que passou por 2007 como um furacão: liderou as paradas do Reino Unido, EUA e Europa; recebeu um sem número de elogios rasgados de papas e cardeais do pop/rock/R&B internacional; participou de centenas de programas de rádio e tevê; caiu nas graças dos meninos (com seu umbiguinho impecável sempre à mostra) e das meninas (com seu jeito tô nem aí, sua maquiagem e penteado descolados), foi a sensação do Gremlin e... ficou a metade do ano internada em clínicas de desintoxicação.

Amy e seu Rehab:



Assim como Amy Casa do Vinho, outras garotas fizeram de 2007 o ano de sua desforra pessoal. Seja nas letras das músicas, nos porres em público ou nas declarações de fazer inveja a Keith Richards, elas transformaram o mundo em um palco e tocaram seu show. Britney Spears, 26, dobrou de peso, raspou a cabeça, quebrou um carro com um taco de baseball, fez a apresentação mais polêmica do ano e voltou à Terra com seu novo-velho CD. Paris Hilton, também 26, passou o ano entre as baladas, os flashes e a prisão; fez a festa das revistas e sites de fofoca e aumentou substancialmente sua legião de fãs desmioladas.

A loirinha espivetada Lindsay Lohan, 21, tanto fez que conseguiu chegar perto de Winehouse - foi internada três vezes (contra cinco da cantora), deu show para as câmeras e fez travessuras até na clínica de reabilitação. Lilly Allen, 22, algumas doses mais sóbria que Amy, virou a estrela pop do momento, rodou o mundo com seus shows mornos e sua carinha de que nada está à sua altura. Até a Sandy cherokee Vanessa Hudgens, 19, resolveu entrar na dança: saiu da personagem sem sal do High School Musical para as fotos picante-é-pouco que vazaram na internet, tiradas para 'seduzir o namorado' - e qualquer um que tenha um PC conectado.

Por outro lado, houve quem chamou a atenção por um lado, digamos... um pouco mais cristão. A eleição da sensualíssima nova presidente argentina, a posuda Cris Kirchner, os produtos nacionais, que bagunçaram o coreto do Oiapóque ao Chuí: Mônica Veloso, a mamba-negra do Planalto (e da Playboy); Dilma Roussef, a ministra-canhão que veio pra botar ordem na casa; a doce Jade Barbosa e a anfetaminada Rebeca Gusmão, que arrebentaram no Pan.

Bebel, entre os gestos da eleita Cris e da virtual candidata Dona Dilma

Isso sem falar em Camila Pitanga, que levantou um tsunami de suspiros com sua fogosa Bebel; em Lovefoxx (Raposa do amor?), a nipo-serelepe-vocalista do Cansei de Ser Sexy, rainha dos moshs e futura senhora Klaxon; nas novas musas da MPB - bem lembradas pelo BJ aí embaixo -, que deram um belo dum frescor ao desgastado cenário musical dessas bandas, e por último (e não menos importante) Marion Jones, a cheerleader sensação de Nova Piripirí.

É.. Definitivamente 2007 foi cor-de-rosa. Ou preto, mais ao gosto das protagonistas do ano.

FELIZ 2008 PRA TODO MUNDOOOOOOOOOO!!!




2007 = Net Giants



COMO 2007 FOI UM ano de muitos acontecimentos na minha vidinha, fiquei em dúvida sobre o que escolher como o mais importante do ano. Comecei então a reparar no tanto de tempo que eu fiquei na net, seja fazendo pesquisas de autores e poetas, trabalhos da escola ou falando com a galera; assistindo dezenas de vídeos ou até postando aqui nos Pentelhos. Somando todos os dias que fiquei online, foram mais de 36 mil minutos. Ou 600 horas. Ou 25 dias. Quase um mês!

Nesse 'quase mês', por mais que eu leia um email aqui ou uma notícia do mundo da moda acolá, dificilmente saí do circuito dos net giants. Juntos, MSN Messenger, orkut, Google, Youtube e Blogger, além do popular e pomposo globo.com e parceiros, dominaram completamente a massa da internet, veículo que cresceu em proporções avassaladoras em 2007.

Assim como eu, outros milhões de brasileiros passaram boa parte de seu ano trocando emotions por MSN, scraps pelo orkut, links de vídeos pelo Youtube e posts e mais posts do Blogger e de outras grifes da onda que virou mania de jornalistas, humoristas, escritores, atores e atrizes e tantos outros que não apenas curtem descrever seu dia-a-dia online, mas precisam colocar para fora suas experiências, percepções, sentimentos e idéias. Como eu. Como os Pentelhos. Como você também, aposto!

UMA BELA PASSAGEM DE ANO A TODOS, E UM 2008 RECHEADO DE TUDO QUE VOCÊS SEMPRE SONHARAM.

Aloha!


30 de dez de 2007

2007= Retornos e EMO's





O The Police no Brasil: nostalgia classe A

NUM ANO DE POUCA força do rock brasileiro, 2007 foi sem dúvida o ano dos retornos. Retorno do jurássico Led Zeppelin, do clássico Van Halen, do versátil e inconfundível The Police. Não sei ao certo o sentimento que toma conta dos integrantes ao resolverem tirar o pó das guitarras, baixos e baquetas, mas sei bem como se sentem os fãs que por anos sonharam com as voltas: exultantes, emocionados e vitoriosos.


O NX Zero mostrou força e faturou as principais categorias do VMB


Mais do mesmo

No cenário nacional, o filme se repete - pouca criatividade nas letras e apresentações, e as paradas dominadas pelos não mais que razoáveis CPM 22, Charlie Brown Jr., Tihuana e suas proles: Fresno, Hateen e NX Zero. Felizmente (para poucos) e infelizmente (para muitos), a cena EMO segue firme no comando das rádios voltadas para a molecada. É, aqui é sem jeito - parece que as franjinhas e as guitarras adocicadas vieram mesmo para ficar.

A (boa) alternativa são as cantoras da nova geração da MPB: Vanessa da Mata, Roberta Sá, Luciana Melo, Céu, Ana Cañas, Bebel Gilberto, Paula Lima e Negra Li. Apesar de jovens, as oito formam um time de respeito, e devem assumir os microfones de nossa música popular nos palcos vindouros.

Um PUTA 2008 a todos!!!


2007 = Thiago, Jade, Marta, Ricardo...


Thiago comemora: maior que Gustavo Borges?


NO ANO DO PAN-AMERICANO no Rio, ninguém brilhou mais que o nadador Thiago Pereira. Com apenas 21 anos, oito medalhas e milhares de fãs conquistadas após sua arrebatadora performance, o garoto de Volta Redonda colocou novamente o Brasil no pódium da natação. Além de arrebentar nos jogos, o tubarão carioca abocanhou outras 33 medalhas em competições pelo mundo, tornando-se a maior esperança brasileira de ouro nas Olimpíadas de Pequim.


Jade, quase perfeita, lamenta o vacilo: Daiane faz escola

Enquanto Thiago vencia seus adversários com até uma piscina de vantagem, outra brasileira enchia os olhos da galera com suas acrobacias, saltos e rodopios. Dessa vez, nem Daiane, nem Daniele. A responsável pelos aplausos do público que lotou o ginásio do Maracanãzinho foi Jade Barbosa, a menina de 16 anos que emocionou o país com seu choro após a perder a chance de conquistar a cobiçada medalha dourada. Perda para uns, conquista para outros: Jade conseguiu uma prata e um bronze, e foi eleita (pela imprensa e por mim) a principal atleta feminina do Brasil em 2007. Em setembro, a ginasta pegaria ainda uma brilhante 3ª colocação no Mundial da Alemanha, jogando as espectativas olímpicas lá pra cima.


'Jade, o Brasil está com você!'





Não tem como esquecer...

Além da dupla que pintou e bordou no Pan-Americano, outros atletas e acontecimentos marcaram 2007. Alguns para serem lembrados para a eternidade; outros para irem pro espaço junto com a rolha da Cerezer.

Kaká e Marta fizeram a dobradinha brazuca na eleição da FIFA de melhores do mundo. Marta desfilou todo seu repertório no Pan, liderou a conquista do ouro da seleção feminina e fechou a boca de muito marmanjo que torcia o nariz para o futebol de saia. O ex-são-paulino venceu os talentosos Messi e Cristiano Ronaldo com sobra, e fechou com chave de ouro um ano inesquecível: foi campeão da Copa dos Campeões, da Supercopa e do Mundial Interclubes, com direito a atuação de gala no Japão.

Na Liga de Basquete Norte-Americana, a NBA, dois jogadores despontam como fortíssimos candidatos a entrar no ultra-restrito olimpo dos superstars. Com técnica e habilidade descomunal e vigor físico de corredores de tiro curto, os record-breakers Kobe Bryant, 29 anos (Lakers) e LeBron James, 23 anos completados hoje (Cleveland), caminham a enterradas largas para se juntar a Michael Jordan, Shaquille O'Neal, Magic Johnson e Kareem Abdul-Jabar como os maiores de todos os tempos. Uou!


Hamilton: vencendo as provas e o preconceito


Das quadras para as pistas. O fenômeno inglês Lewis Hamilton, 22, bateu na trave da conquista do título da Fórmula 1, mas fez um gol de placa com suas atuações surpreendentes. Valente, arisco e com a dose certa de irresponsabilidade, deixou o bicampeão Fernando Alonso se mordendo de ciúmes, e viu os holofotes e microfones saírem da escuderia vermelha para voltar aos boxes da vitoriosa McLaren. Acabou ficando em segundo, mas inicia 2008 como franco favorito ao título mais disputado do automobilismo.

Não tem como fechar a listinha dos principais acontecimentos esportivos do ano sem lembrar da maior pisada de bola dos últimos tempos. Seu autor foi o Sport Club Corinthians Paulista, que fez um Campeonato Brasileiro deplorável e acabou caindo para a malfadada Segunda Divisão. Parece que a nação corintiana já tem para quem dedicar as sete ondas puladas no Reveillón. Salve, Jorge!

BUENAS FIESTAS, E QUE VENGA 2008. IIIIIIIIHÁÁÁÁ!!!!!!!


29 de dez de 2007

2007 = Caveira



EM 11 ANOS DE VIDA, eu nunca tinha visto um filme causar tanta polêmica e alvoroço como este... Osso DURO de roer mesmo! Seja pela perspicácia de José Padilha na direção, pela edição 'importada' do igualmente arrebatador Cidade de Deus, pela velocidade das câmeras - que captaram na medida o realismo dos morros e os gestos seguros do elenco de primeira (capitaneado por um inspiradíssimo Wagner Moura) -, pelas gírias dos bandidos e policiais ou pelo Capitão Nascimento, o novo ídolo da molecada, Tropa de Elite se tornou um verdadeiro fenômeno.

Pirateado aos milhões e assistido por tantos outros, o filme virou assunto nas reuniões empresariais, happy hours, faculdades e colégios e serviu de inspiração para praticamente todos os programas da TV aberta. Alçou os antagônicos hits Tropa de Elite ('agora o bicho vai pegar!'), do Tihuana e Rap das Armas ('O Morro do Dendê é ruim de invadir...'), de Mc Cidinho e Doca (ambos abaixo) ao topo das paradas de sucesso; fez o número de 'aspiras' a policiais do Bope triplicar; viu frases e piadas do Capitão Nascimento no céu, no inferno, em Hollywood e em Brasília tomarem conta das mesas de bar, emails e comunidades no orkut.



Lactopurga/Helder Ibanez - Desencannes


Seu papel principal, no entanto, foi levantar a bola da discussão em torno dos problemas do tráfico, da violência nas favelas e da corrupção policial. No ano das balas perdidas, dos assassinatos cruéis (que Deus tenha o pequeno João) e da balbúrdia no Morro do Alemão, a Caveira veio para puxar o pé das autoridades adormecidas e alertar a população: do jeito que está, não dá mais.

Wagner Moura como o Capitão Nascimento: um fanfarrão.






Tropa de Elite (Tihuana):





Rap das armas (Mc Cidinho & Doca):






28 de dez de 2007

10, 9, 8, ...



PARA ALGUNS, apenas mais um ano como outro qualquer. Para muitos, 365 folhinhas de calendário viradas uma em cima da outra numa velocidade frenética, com tabus caindo, datas comemorativas se misturando e a metamorfose ambulante de Raulzito comendo solta, atual como nunca. Um ano Jerry Maguire: marcante, matador, definitivo. Para tantos outros, 12 longos meses de angústia e de implicância com os pais, com o chefe, a professora, o namorado e a sonolência do ponteiro do relógio, o preguiçoso. Um ano para ser abstraído, esquecido, defenestrado: - Já vai tarde!

Pois é gente boa... 2007 caminha para seus últimos momentos, já não resta muito tempo para grandes feitos. Se você pretende emagrecer, mudar hábitos antigos, ser mais sociável, mais compreensivo, mais fiel, mais responsável; menos inseguro, desconfiado, pavio curto e implicante, melhor deixar para o ano que vem.

Imagine que um meteoro do tamanho do Texas (não consegui pensar em nada que desse uma dimensão tão grande e cascuda) vai cair sobre a Terra, e que um novo ciclo está por vir. Aproveite seus últimos momentos para relaxar, agradecer aos que lhe ajudaram neste ano, ficar perto de quem realmente gosta e vislumbrar um 2008 cheio de realizações.

Quer um conselho? Não coloque muitas metas no caderninho. E, por favor, trace objetivos tangíveis e totalmente realizáveis - deixe o papo de que tudo é possível para a Xuxa e os fabulosos tênis que correm sozinhos.

Nos próximos posts, vamos colocar o que rolou de mais marcante para cada um de nós em 2007. Brandon, você está incluído nessa. Fique à vontade para dar seus pitacos, meu caro.


Sem mais,


25 de dez de 2007

Natal pra mim é...


Uma coisa automática, nostálgica,
vermelha, agridoce.
Feliz Natal! - Dizem por aí...
Feliz? Feliz aonde?

Natal é uma época de reflexão.
Repleta de pensamentos densos,
e lembranças, e canções tristes,
tristes memórias.

Há os que o considerem
um dia de alegria
de paz, solidariedade
compaixão e envolvimento.

Eu, particularmente
[e trocadilhos à parte]
só me envolvo com o peru
Com os bolos e pavês.

Prefiro ficar no canto,
na cadeira de balanço
para fazer o balanço
daquilo que de útil eu fiz.

Sai ano, entra ano
o resultado é sempre o mesmo:
luta abandonada
consciência pesada,
alma envergonhada
e meu estômago feliz.




Natal pra mim é...


... UM DIA CINZA, meio melancólico, sem muitos motivos para comemorações e festejos de qualquer tipo. Essa coisa de todo mundo comer à meia noite e se abraçar desejando a primeira coisa bonita que vier à cabeça não faz muito a minha não.

E o tal do Papai Noel? Acho bacana pelas crianças, que adoram o velhinho e seu saco cheio de surpresas. Mas fico triste por Jesus, o aniversariante do dia, ser lembrado apenas nos raros presépios montados por aí. Não se trata de religião, mas a idéia não é resgatar a paz e a união, tão em falta nos últimos tempos?

Enfim, sou mil vezes mais o Ano Novo, mas de toda forma...

FELIZ NATAL!!!!!



24 de dez de 2007

Natal pra mim é...


... UMA DATA MUUUUITO ESPECIAL!!!!! Quando está chegando dezembro, já fico toda empolgada. Só de pensar em montar a árvore com o BJ, de ajudar a mamãe a preparar o tender com abacaxi, de comer um montão de nozes e cerejas, de assistir milhares de filmes de Papai Noel e de ganhar muitos presentes, já fico doida!

Esse ano, pedi para o papai um sutiã com bojo e o DVD do High School Musical. Quero aprender uns passos novos com a Gabriela para mostrar pras meninas minha nova coreografia pra 2008! Este ano sinto realmente que estou me desenvolvendo... Como cheerleader, e como mulher.


Boas festas e beijinhos a todos!!!



Natal pra mim é...



... VER E OUVIR o especial do Roberto Carlos, Tremendão e cia., Simone e todos os discos insuportáveis que a Marion deixa tocando no último volume aqui em casa enquanto prepara o bendito do tender com a mamãe. Curtia muito também quando íamos nas creches aqui da cidade distribuir doces e brinquedos para as crianças, todo mundo vestido de Papai Noel. Era uma farra!

Este ano acabamos não fazendo o mutirão natalino, mas em 2008 vou falar com Jo-jo, Vince, Carlton, Tony e as meninas para organizarmos um esquema bem louco para todas as crianças de Nova Piripiri ganharem sua surpresa no final do ano. É o melhor presente que alguém pode se dar!

Aproveito para deixar aqui um forte abraço a todos que durante o ano todo, e especialmente nessa época, trabalham para fazerem milhares de natais mais felizes.



Natal pra mim é...


... CHUVA! Chuva de presentes, Chuva de Prata (vinagrão), chuva de beijos e abraços e afagos e promessas de um ano melhor, uma família mais unida, um bolso mais cheio, uma mesa mais farta... Mas, acima de tudo, chuva daquela que molha mesmo.

Vocês já repararam no baita pé d’água que sempre cai nos natais? Parece que São Pedro fica com ciúme da popularidade do velho Noel e desconta com raios e trovões, doido para derrubá-lo de seu trenó, o coitado. Não adianta pedir pro Preto Véio coçar o dedão do pé, jogar ovo no telhado ou fazer dança do sol; basta sentir o cheiro dos panetones que Pedrão abre as comportas lá de cima e... CABRUMMMMMM!!!




Natal pra mim é...


... NADA MAIS QUE uma invenção dos druidas do capitalismo para aquecer o comércio de fim de ano. Basta os trabalhadores receberem o 13º para lotarem as lojas de roupas e de departamento, dando a entrada naquela sonhada tevê de tela plana de noventamilquinhentosecinquentaesete cores, ou se abarrotar de sacolas com presentes para os namorados, amigos e familiares.

Sim, é de suma importância fazer girar a roda do sistema e um grande prazer presentear as pessoas queridas, sem dúvidas. O problema é que quando o sino daquele tio com roupa vermelha e barba de algodão toca, a criançada da família não quer saber de onde ele veio, se recebeu as cartinhas, como foi o empacotamento com os duendes e a viagem com suas renas. No fim das contas, o que vale mesmo é o que está dentro do saco que ele carrega nas costas. E o saco, pelo menos aqui no Brasil, ainda é para poucos.



Natal pra mim é...


... PERU. Oras, natal me lembra peru! Não sei porque lá em casa só tem peru nessa época do ano. Tá, vai, o bicho vivo é feio que dói... Mas no prato, com arroz e aquela farofinha, não tem picanha que faça dar jogo.

Para homenagear os glu-glus, aí vai uma seleção com os maiores perus de todos os tempos. Feliz natal e bom apetite!






23 de dez de 2007

Festa de fim de ano da empresa



História real de uma empresa de São Paulo.


Patrícia Gomes - Diretora de Recursos Humanos
COMUNICADO PARA TODOS OS FUNCIONÁRIOS
Data: 01 de dezembro
Assunto: Festa de Natal

Tenho o prazer de informar que a festa de Natal da empresa será no próximo dia 23 de dezembro, com início ao meio-dia, no salão de festas privativo da Churrascaria Grill House. O bar estará aberto com várias opções de bebidas. Teremos uma banda tocando canções tradicionais de natal. Sinta-se à vontade para se juntar ao grupo e cantar! A árvore de Natal terá suas luzes acesas às 13:00. A troca de presentes de amigo secreto pode ser feita a qualquer momento, entretanto, nenhum presente deverá exceder R$ 20,00, a fim de facilitar as escolhas e adequar os gastos a todos os bolsos.

Boas festas para vocês e suas respectivas famílias,

Patrícia
______________________________________________________


Patrícia Gomes - Diretora de Recursos Humanos
COMUNICADO PARA TODOS OS FUNCIONÁRIOS
Data: 02 de dezembro
Assunto: Festa de Natal

De maneira alguma nosso memorando de 01 de dezembro pretendeu excluir nossos funcionários judeus! Reconhecemos que o Chanukah é um feriado importante e que costuma coincidir com o Natal, mas isso não aconteceu este ano. De qualquer forma, passaremos a chamá-la de "Festa de Final de Ano". A mesma política se aplica a todos os outros funcionários que não sejam cristãos e àqueles que ainda celebram o Dia da Reconciliação. Sendo assim, não haverá árvore de Natal, e nada de canções de natal ou coral. Teremos outros tipos de música para seu entretenimento.

Felizes agora?

Boas festas para vocês e suas famílias,

Patrícia
__________________________________________________


Patrícia Gomes - Diretora de Recursos Humanos
COMUNICADO PARA TODOS OS FUNCIONÁRIOS
Data: 03 de dezembro
Assunto: Festa de Natal


Com relação ao bilhete que recebi de um membro do Alcoólicos Anônimos solicitando uma mesa para pessoas que não bebem álcool... Você não assinou seu nome! Fico feliz em atender o pedido, mas se eu puser uma placa na mesa "Exclusivo para AA", vocês não serão mais anônimos... Como faço, alguma sugestão?

Nenhuma troca de presentes será permitida, uma vez que os membros do sindicato consideram R$20,00 muito dinheiro e os executivos acham que $ 20,00 é muito pouco para um presente. NENHUMA TROCA DE PRESENTES SERÁ PERMITIDA, certo?

Atenciosamente,

Patrícia
________________________________________________


Patrícia Gomes - Diretora de Recursos Humanos
COMUNICADO PARA TODOS OS FUNCIONÁRIOS
Data: 07 de dezembro
Assunto: Festa de Natal


Eu não sabia que no dia 20 de dezembro começa o mês sagrado do Ramadan para os muçulmanos, que proíbe comer e beber durante as horas do dia. Talvez a Churrascaria Grill House possa segurar o serviço de bufê até o fim do dia - ou então, embalar tudo para que vocês levem para casa nas marmitas. O que vocês acham disso?

Novidades: neste meio tempo, consegui que os membros do Vigilantes do Peso sentem o mais longe possível do bufê de sobremesas; as mulheres grávidas sentem-se o mais perto possível dos banheiros; teremos assentos mais altos para pessoas baixas e comida com baixa-caloria estará disponível para os que estão de dieta. Nós não podemos controlar a quantidade de sal utilizada na comida. Desta forma, sugerimos para estas pessoas com pressão alta provar o gosto primeiro. Haverá frutas frescas de sobremesa para os diabéticos. O restaurante não dispõe de sobremesas sem açúcar. Nossas profundas desculpas. Esqueci de alguma coisa?

Patrícia
_____________________________________________


Patrícia Gomes - Diretora de Recursos Humanos
COMUNICADO PARA TODOS OS FDP QUE TRABALHAM NESTA EMPRESA
Data: 08 de dezembro
Assunto: Festa de Natal DO CARALHO


Ah, vegetarianos, é?!?!?!??! Sim, vocês também tinham que dar sua opinião de merda ou reclamar de alguma coisa !!! Nós manteremos SIM o local da festa na Churrascaria Grill House; quem não gostar, vá fazer um pic-nic no pasto! Então, como alternativa, seus putos, vocês podem sentar-se quietinhos na mesa mais distante possível da tal "churrasqueira da morte" - como vocês se referiram de forma bastante depreciativa ao utensílio. E vocês terão também sua linda mesa de saladas, incluindo tomates hidropônicos da casa do caralho & arrozinho grudento pra comer de pauzinho. Aqueles que, naturalmente, ainda não gostaram, podem enfiar tudo no cu.

Ah, espero que vocês todos tenham uma beeeela de festa de final de ano! E que se entupam de chester e dirijam muito, muito bêbados e morram todos, todinhos esturricados por aí.

Escutaram?


A Vaca, diretamente da puta que os pariu.
_______________________________________________


Dr. Pacheco - Diretor de Recursos Humanos Interino
COMUNICADO PARA TODOS OS FUNCIONÁRIOS
Data: 10 de dezembro
Assunto: Patrícia Gomes e Festa de Final de Ano


Pessoal,

Tenho certeza que falo por todos desejando para a Patrícia um rápido restabelecimento para sua crise de stress. Por conta deste fato, a diretoria decidiu cancelar a Festa de Final de Ano e dar folga remunerada para todos na tarde do dia 23 de dezembro.

Boas Festas,


Victor




18 de dez de 2007

O mundo aos pés de Kaká

Kaká e Marta: em 2007 só deu eles/EFE

DEU A LÓGICA. Kaká foi eleito pela FIFA, nessa segunda-feira, o melhor jogador do mundo. Ao lado de Marta, que novamente foi a jogadora mais brilhante do planeta, com dribles e jogadas de fazer inveja a qualquer marmanjo, o meia do Milan ergueu seu quinto troféu do ano - foi também campeão da Copa dos Campeões, da Supercopa, do Mundial de Clubes e o vencedor da Bola de Ouro.

Para os poucos que acreditavam na vitória dos concorrentes - o atacante do Barça Lionel Messi e o meia do Manchester, Cristiano Ronaldo -, a vitória foi de lavada, como os 4x2 que seu Milan sapecou no Boca Juniors na final do Mundial, 24 horas antes. Na contagem dos votos, Kaká somou 1.047 pontos, contra 504 do argentino e 426 do português. Olé!


Messi e Cristiano Ronaldo valorizaram a conquista do brazuca


Craque é craque desde o berço. E zé-fini!

Muitos técnicos e comentaristas acreditam que o jogador tem mais chances de se tornar um craque quando fica mais rodado e experiente. Eu já tenho outra opinião: pra mim, craque é craque desde os tempos do time de Fraldinha, Chupeta, Mamadeira. Pode até dar uma de humilde (o que é raro), mas no fundo sabe que tem muito mais bola que metade da cidade. Assim foi com Pelé, Romário, com Dener, Alex, Ronaldo, Ronaldinho, Robinho, Pato e com o garoto Ricardo Izecson dos Santos Leite, conhecido desde criança pelo simpático apelido.

Kaká, que quando foi alçado ao time principal do São Paulo ainda era Cacá, não hesitou para mostrar seu cartão de visitas. Marcou dois golaços na final do Rio-São Paulo de 2002 e jogou tanta bola no Campeonato Paulista que foi convocado por Felipão para a Copa no Japão/Coréia. Praticamente não entrou em campo, é verdade, mas agregou um valor considerável ao seu passe.



Nos tempos de Tricolor: perseguido pela torcida/ Diário de S. Paulo

A preço de banana

De volta ao São Paulo, liderou o time na irrepreensível campanha no Campeonato Brasileiro, mas a eliminação precoce para os meninos da Vila nas oitavas acabou manchando a imagem do time todo junto à torcida, e Kaká não ficou de fora dessa. Passou a ser perseguido e cobrado constantemente, o que acabou inibindo seu belo futebol, ainda em fase embrionária.

Tamanha injustiça dos torcedores acabou apressando sua saída. Com apenas 20 anos, foi vendido para o Milan por uma bagatela: 8,5 milhões de euros. Para se ter uma idéia do negócio da lua que o time de Milão fez, basta abrir os jornais de hoje e ver a cifra astronômica depositada nos cofres tricolores pelo Bayern de Munique para ter o zagueiro Breno: US$ 18 milhões (mais que dois Kakás). Sorte do Milan e do técnico Anceloti, que graças às arrancadas do craque brasileiro viu seu esquema retranqueiro se transformar no contra-ataque mais letal do planeta.



Em eterno estado de graça no time milanês: reconhecimento



Galã fora dos gramados

Mesmo sendo recatado e 'comprometido com Jesus', Kaká sempre fez sucesso com o mulherio brasileiro, e com as ragazze não seria diferente. Requisitado em festas e eventos dos mais variados tipos, estampou a capa de revistas femininas, virou garoto-propaganda da Adidas e estrelou diversas campanhas do requintado Emporio Armani.

Na capital mundial da moda, o brasileiro entrou para o seleto clube de jogadores-modelo (ao lado de Canavaro, Cristiano e Beckham), seguiu os passos de Gisele e virou outdoor, empena de prédio e luminoso nos principais cruzamentos de Milão. Estava lançada a Kaká-Mania.



Chave de ouro

Se na Itália Kaká era rei, na Seleção brasileira não foi diferente. Em 2007, já com duas Copas na bagagem, o meia comandou o instável time de Dunga com muita correria, assistências precisas, dribles desconcertantes e golaços de fora da área, no melhor estilo Galinho da Gávea. Suas atuações brilhantes acabaram até por ofuscar Ronaldinho Gaúcho, que, perdido em campo, se limitava a servir de coadjuvante da estrela do Milan.


Um dos artilheiros do campeonato italiano, craque da Copa dos Campeões da Europa, estrela maior da Seleção. Kaká tinha conquistado quase tudo que poderia almejar nesse ano. Quase. Faltava ainda o Mundial de Clubes, entalado em sua garganta desde a derrota para o próprio Boca, em 2003, na decisão por pênaltis, e daquela outra doííííída que só para o Liverpool em 2005, que tirou seu time da decisão no Japão contra o São Paulo.

Mas não tem jeito - no ano dourado, ninguém joga água na groselha de Kaká. Depois da magra vitória sobre os japoneses do Urawa Reds (gol dele) nas semi-finais, a desforra: uma atuação de gala, um golaço e passes precisos para outros dois, que garantiram o tetracampeonato do Milan, a eleição de craque do torneio e a carimbada que restava na faixa de melhor do mundo.



Belos gols pela seleção e canecos conquistados no Milan: insuperável


Queridinho do treinador, da mídia e da torcida, bem casado (vai ser papai ano que vem), multicampeão e eleito o melhor jogador do planeta. Kaká não precisa de mais nada, certo? Errado. Humilde e emocionado na eleição, o jogador exalta o futebol de Ronaldinho, lembra do companheiro Ronaldo e avisa que ainda falta um título em sua vitoriosa carreira. Quem sabe na África?

Kaká, levante as mãos pro céu, rapaz, como sempre faz em suas comemorações. Aproveite que você está pertinho dele!





17 de dez de 2007

A Viola Universitária


DEPOIS DA RESSURREIÇÃO do forró pé-de-serra, do funk descer o morro e invadir todos os ‘apês’; do pagode-chique, das micaretas e carnavais semanais e das xxxperiências feitas nas raves, chegou a vez do mais novo fenômeno pop-teen-juvenil: o Sertanejo Universitário. Os shows promovidos pelos sertanejos, que em 2007 caíram de vez nas graças do público universitário, são verdadeiras festas, onde quem tá dentro quer curtir, e quem tá fora se amontoa nas portas de entrada, na esperança de conseguir um dos últimos ingressos restantes.



Os country stars Edson & Hudson levantam a galera no Tom Brasil


Do lado de dentro, um cenário propício para muita farra e azaração: em cima do palco, orquestra, guitarras, corpo de baile e performances dignas de astros do pop; embaixo, chapéus voando, desfile de botas e cintos, beijos na boca de parar qualquer saloon, e... Epa, pera lá! Vamos com calma que a coisa não foi sempre assim. Para ganhar os redutos que até então torciam o nariz para o gênero, é preciso entender a transformação pela qual o sertanejo passou. Bora?

O sertanejo que ganhou o Brasil na década de 90 graças ao apelo popular de duplas como Chitãozinho & Xororó, Leandro & Leonardo, Zezé di Camargo & Luciano e até Sandy & Junior, está deveras distante daquele estilo que se valia de uma ou duas violas, de versos simples e inocentes e do sotaque carregado característico para retratar a vida no campo, no interior, no sertão: a vida sertaneja.




Zé Rico & Milionário: onde tudo começou


Para saírem das quermesses e ganharem os palcos do país, as duplas – e seus agentes – perceberam que precisariam dar uma repaginada no visual, no jeito de cantar e principalmente no repertório. Se ninguém quer saber da nossa jangada e do nosso burrico, vamos falar daquele que 999 dentre 1000 pessoas conhecem até fantasiado de Papai Noel: o amor. Ah, o amor! Sentimento bandido e sem freio, o disgramado... Foi falando dele e de seus desenlaces que dezenas de duplas chegaram às rádios populares, às novelas, aos programas dominicais e aos cinemas, montando uma bem-sucedida franquia.

Com o passar do tempo, a coisa acaba mudando de figura. Uns vão tocar seus negócios, outros viram estrela no céu, alguns permanecem na mídia (agora como garotos-propaganda e apresentadores de TV). Mas, como já dizia o bujão, 'o gás uma hora acaba', e deve-se passar o chapéu de cowboy - e as fãs enlouquecidas - para a próxima geração.



A trinca responsável pela expansão e glamourização da viola


Mais modernas e bem assessoradas, as duplas do novo século não só ocuparam o lugar de seus antecessores, como colocaram suas músicas na boca de gente que tinha calafrios quando começava o Sabadão Sertanejo, programa tosco da emissora de Silvio Santos onde sertanejos e convidados desfilavam seus sucessos em playback. Deixaram de lado a cabeleira e o tom choroso, engrossaram a voz, resgataram o country e as modas bem humoradas e apresentaram seu jeito malandro-romântico, muito mais ao gosto do público cativo atual.



Micaretas sertanejas: tem peão, boiadeiro... E mulher pra todo lado!


Com essa fórmula, Bruno & Marrone, Edson & Hudson, Guilherme & Santiago, César Menotti & Fabiano e Victor & Léo, entre outros, abocanharam o filão do circuito universitário, e passaram a incluir as festas de faculdade em suas agendas, que chegam a ter impressionantes 40 shows em um único mês. Vale lembrar que bandas consagradas de pop/rock não chegam a bater sequer 10 shows em seu mês mais farto.


Menotti e Fabiano rindo à toa: seu hit 'Leilão' foi o mais executado do ano pelas rádios populares


Pois é, gente boa... Se continuar nessa toada, o Sertanejo Universitário vai passar a ser também a trilha de filmes, casórios e das disputadas festas de formatura. E seus artistas vão mesmo precisar fazer o tal do leilão - para ver quem dá mais pelo espetáculo.



15 de dez de 2007

Momento nostalgia

'Saudosa maloca, maloca querida...




ENTRE OS MILHAAAARES de cartões de Feliz Natal e Próspero Ano Novo que tenho recebido em meu e-mail público, abri nessa manhã uma mensagem muito linda. Tristinha, diga-se de passagem. Mas repleta de verdade e de significado, e que se aplica a qualquer grupo de amigos, principalmente os que estão se formando e encerrando um ciclo.

Já parou pra pensar que mais da metade dos amigos que tem ou já teve, você nunca mais vai ver na vida? 'Ah, mas que exagero!', você pode pensar. Exagero? Estique a memória, capriche na trilha sonora (John Secada cai legal) e tire suas próprias conclusões.

"É inevitável. Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, das descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos juntos, dos tantos risos e momentos que compartilhamos. Saudades até das lágrimas, da angústia, das vésperas de finais de semana, de finais de ano, enfim... De todo companheirismo vivido ao longos dos anos.

Sempre pensei que as amizades fossem para sempre. Mas não - cada um vai pro seu lado, seja pelo destino, pela carreira ou por algum desentendimento. Cada um segue a sua vida. Talvez continuemos a nos encontrar, quem sabe. Podemos nos telefonar, conversar algumas bobagens, lembrar dos bons tempos. Aí os dias vão passar, meses, anos... O contato vai se tornando cada vez mais raro, até se resumir a encontros nos aniversários, casamentos e funerais. Acabamos nos perdendo no tempo.

Um dia nossos filhos verão aquelas fotografias cheias de sorrisos despreocupados e perguntarão: ‘Quem são esses caras?’ Diremos que eram nossos amigos, e isso vai doer tanto! Mesmo que seja por um breve instante. ‘Foram meus amigos, foi com eles que vivi os melhores anos de minha vida!’ A saudade vai chacoalhar lá dentro. Vai bater aquela vontade de ligar, ouvir todas as vozes novamente... Quando o nosso grupo estiver incompleto, nos reuniremos para um último adeus fantasiado de ‘até breve’ de um amigo. E nos abraçaremos forte.

Nos brindes, juntaremos os copos e faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. 'Aqui, nesse mesmo lugar. Sem falta!' Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vida cada vez mais distante do passado. E nos perderemos no tempo...


Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixem que a vida passe em branco, nem que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades. Nunca se esqueçam do que fomos um dia. Pois, sem isso, jamais conseguiriam ser coisa alguma. E o mais importante: as amizades e a convivência se modificam, isso é sem jeito. Mas tudo o que foi vivido não se perde jamais."

... dim dim donde nóis passemo dias feliz de nossas vida.'

(autor desconhecido)


Jo-jo, Vince, Carl, Tony, Vickye, Bran e BJ: AMO DEMAIS VOCÊS!



A volta dos três gigantes

DEPOIS DE PASSAR os últimos anos entre o inferno e o purgatório, reféns dos interesses de cartolas déspotas e de empresários oportunistas, três grandes clubes brasileiros parecem enfim ter emergido da lama e acordado para a bola. Flamengo, Fluminense e Palmeiras mudaram de cara, enfrentaram uma verdadeira lavagem intestinal e, pelas últimas notícias ventiladas pela imprensa, devem travar com São Paulo, Santos e Inter uma interessante batalha pelo topo do futebol brasileiro.



Ibson: o símbolo da arrancada rubro-negra


O Flamengo, que deu neste Brasileirão a mais emocionante arrancada de um time desde o Santos de Diego e Robinho em 2002, renovou com Joel Santana e está montando uma equipe altamente competitiva para a disputa da Libertadores da América. O goleirão Bruno, de contrato novo, ficará na Gávea por mais algumas boas temporadas. Rodrigo, beque disputado por várias equipes brasileiras, deve chegar para formar dupla de zaga de respeito com Fábio Luciano. Os laterais Léo Moura e Juan foram irrepreensíveis no campeonato, assim como Renato Augusto e Ibson. O pentacampeão Kléberson, regularizado e em forma, já treina com o colete de titular. Com mais um avante de ponta, para formar o ataque ao lado do matador Souza, o Mengão ficará completo para voltar a sonhar com títulos importantes em 2008.


Washington: grande chance de formar ataque dos sonhos com Leandro Amaral e Dodô


A diretoria do Flu parece não medir esforços para reforçar o time que disputará o torneio sul-americano e exorcizar de uma vez por todas a galinha preta que visitou as Laranjeiras no início do XXI. Depois de tirar Dodô do Botafogo e repatriar o volante Fabinho e o matador Washington Coração de Leão, o time do técnico Renato Gaúcho está fazendo de tudo para trazer o habilidoso meia argentino Darío Conca, ex-Vasco, e aguarda pendência jurídica para apresentar o Anjo da Fiel Felipe e o atacante Leandro Amaral, os melhores de suas posições no campeonato. Os meias Jadson e Jônatas e o lateral-esquerdo Léo são outros nomes na pauta do diretor Branco, e podem pintar no time a qualquer momento. Lembrando que o Tricolor Carioca conta ainda com o talentoso meia Thiago Neves, titular absoluto de qualquer seleção do Brasileirão.



Luxa: de volta, quem diria, nos braços da torcida


Fechando a trinca das fênix da bola, vem o Palmeiras. Esfolado pela dinastia do sultão Mustaphá Contursi, que sugou o clube até deixá-lo no abismo da Segundona, o time do Parque Antártica dá sinais de que fará de 2008 o ano do retorno ao futebol de garra, classe e competitividade que o consagrou como o maior campeão do último século. Assinou contrato de R$250 milhões para transformar o velho Palestra Itália na moderna e requintada Arena Palestra - que servirá inclusive para abrigar a Azurra na Copa de 2016. Firmou parceria com J. Hawilla, palmeirense verde e dono da poderosa Traffic, para injetar outros milhões na contratação de reforços. E, o chantily do mousse de limão verde: está prestes a confirmar a vinda de ninguém menos que Vanderlei Luxemburgo, o mais vitorioso técnico do país, para comandar a equipe.

Com Luxa no banco, São Marcos recuperado debaixo das traves, o raçudo Pierre na retaguarda e o mago Valdívia na criação das jogadas, o torcedor alvi-verde que ainda não completou uma década de vida poderá enfim se entusiasmar para soltar o grito que seus amiguinhos são-paulinos, corintianos e santistas cansaram de dar nos últimos anos: É CAMPEÃO!

É claro que tem também a reformulação no Timão e a minha Lusinha, que puxou o fado e deixou as padarias do país em festa, mas isso já é assunto para um próximo post.

Saudações da Terrinha,

Related Posts with Thumbnails