31 de jan de 2008

Tumorzinho verde


CERTAS PESSOAS TÊM o dom de falar bobagens. Quando são pessoas públicas, então, seu momento infeliz ganha proporções gigantescas, já que a imprensa age como um megafone, sempre pronto para captar as pérolas proferidas por artistas, cantores, locutores esportivos e outras searas de pop-stars. No entanto, os campeões de perder-a-oportunidade-de-ficar-quieto pertencem a outra classe - justamente a que toma as decisões que definem o rumo que o país vai tomar. Sim, os políticos.

Já não é de hoje que os governantes do Brasil falam calamidades em público - Figueiredo e Jânio que o digam -, mas é inegável que nos últimos anos o índice de patacoadas vem crescendo de forma considerável.

O rol de assumidades vai desde o inacreditável 'Estupra mas não mata' do homem-com-um-ovo-na-boca e do famigerado 'Relaxa e Goza' da pimentinha do PT, até a 'Metamorfose Ambulante' do nosso modernoso presidente, passando pelos 'Telespectadores da Rádio Bandeirantes', 'Não podemos julgar um feto', 'Livro bom é livro sem letra' e 'A grande maioria de nossas importações vem de fora do país', todas proferidas pelo mesmo Lula.

A grande maioria delas nós relevamos. Afinal de contas, no Brasil se releva tanta coisa, por que não deixar pra lá os gracejos de nosso espirituoso líder? Já revelar que é bom, nada. Mas vamos deixar o 'momento OMO' no stand by e partir logo ao que interessa.

Em um almoço no Itamaraty nessa quarta-feira, ao ser indagado sobre o incessante desmatamento na Amazônia, Lula soltou o seguinte (leia duas vezes para garantir):

"O que aconteceu, na minha opinião, eu não sou comunicador, posso estar errado... você vai no médico detectar por que você está com um tumorzinho aqui, e ao invés de fazer biópsia e saber como vai tratar, você já saiu dizendo que estava com câncer."

Ao ler essas linhas aqui reproduzidas, tive que resistir ao impulso de dar uma de patricinha da balada, que enquanto masca chiclete de boca aberta solta aquela frase incrível que resume em apenas quatro palavras toda sua surpresa e inconformismo: CARA!! TIPO... COMO ASSIM???

Sim, você está errado, Lula. Chamar a catástrofe que dizima a Amazônia dia após dia de 'tumorzinho', é estar no mínimo desinformado. Ou 6 mil quilômetros quadrados de floresta incendiada (a uma velocidade de um Maracanã a cada 8 segundos) no último semestre é pouco pra você?

O presidente ainda partiu para a defesa dos sem-terra, pecuaristas e produtores de soja, que deixam seus estados secos para usufruirem das mal vigiadas terras amazônicas. 'Não podemos culpar ninguém antes de investigar o que aconteceu. Por fotografia você tem apenas a imagem, e não o que realmente aconteceu. Precisamos acender a lanterna para não permitir que o problema continue crescendo', emendou.

Marcelo Coelho, colunista da Folha de S.Paulo, tratava justamente desse assunto em sua coluna na edição de ontem. Parece até que previra a gafe presidencial:

"A Amazônia não é nossa. A Amazônia no momento é dos que a invadem e devastam. Sejam madeireiros, plantadores de soja, pecuaristas, mineradoras ou fabricantes de ferro-gusa (...) A Amazônia seria nossa se o poder público tivesse condições de impor a lei naquela região, se conseguisse fiscalizar e punir quem promove o desmatamento. Mas o poder público brasileiro não consegue sequer fiscalizar e impor a lei dentro dos presídeos de segurança máxima... Lugares onde, se existe alguma, a fiscalização deveria ser total e o império da lei assegurado à risca".

Ou seja, algo muito maior e mais urgente que um mero ato de 'acender as lanternas'. Um verdadeiro câncer, que teve seu diagnóstico deflagrado há ao menos duas décadas, e que necessita ser combatido de forma incisiva e enérgica.


EM CARTAZ - Eu sou a lenda

APOCALIPSE, WILL SMITH, cidade abandonada, zumbis, carros atravessados na pista. Pronto, pensei, taí o Independence Day 2! Ou quem sabe um Náufrago high-tech. Pura ilusão. Eu Sou a Lenda não é nada disso. Faz assim, ó: dá uma passadinha de olho na ficha da mais nova superprodução Hollywoodiana, e depois entenda o porquê de minha decepção.

EU SOU A LENDA ('I'm Legend', 2007)
Ficção Científica, 101 minutos.

Direção:Francis Lawrence ('Constantine')
Roteiro: Mark Protosevich e Akiva Goldsman, baseado no roteiro anterior de John William Corrington e Joyce Hooper Corrington, elaborado a partir do livro de Richard Matheson
Com: Will Smith, Alice Braga

Sinopse: Um terrível vírus dizimou 6 bilhões de pessoas do globo terrestre. Aparentemente o único habitante imune ao vírus restante, um renomado cientista (Smith) procura por outros sobreviventes, enquanto faz experiências para buscar um antídoto que livre os zumbis da doença.

♠Bastidores:
*A saga do filme começou na década de 90, quando Ridley Scott ('Gladiador') foi escalado para a direção e Arnold Schwarzenegger para o papel principal. Seu elevado orçamento fez a dupla desistir;
*Em 2002 o projeto voltou à pauta, com Michael Bay ('Armageddon', 'Pearl Harbor', 'Transformers') como diretor e Will Smith como protagonista. Até que surgiu o projeto de Bad Boys 2, que fez a dupla debandar;
*Smith indicou o cineasta Guillermo del Toro ('O Labirinto do Fauno') para a direção, mas o mexicano, comprometido com o filme entre parênteses, disse não;
*As cenas feitas na ponte do Brooklyn precisaram de mais de mil extras, além de aviões e veículos militares. A produção calcula o gasto de 5 milhões de dólares, num total de seis noites de filmagens - que rendeu pouco mais que 3 minutos de filme;
*Will Smith pediu e conseguiu se licenciar das filmagens por alguns dias. Motivo: o casamento de Tom Cruise e Katie Holmes, em Roma.

♠ Informações retiradas do site
AdoroCinema

Por que assistir: Apesar da falta de criatividade no roteiro (dava para ter desenvolvido muito mais a idéia), o filme não é de todo ruim. Will Smith segura a onda e protagoniza cenas hilárias ao lado de manequins e de sua cadela Sam. A escolha de Bob Marley na trilha sonora (justamente do disco Legends) é acertada, quebrando um pouco o clima de tensão deixado pela cidade vazia. A entrada da brasileira Alice Braga após uma hora de fita dá uma sobrevida à história, que no entanto patina na sequência final.

Avaliação: @@ PRA PASSAR O TEMPO.


Trailer:



30 de jan de 2008

Joãozinho e as Lombrigas


QUATRO LOMBRIGAS são colocadas em quatro tubos de ensaio separados:

A primeira lombriga em álcool,
A segunda lombriga em fumo de cigarro,
A terceira em esperma,
E a quarta em terra natural.

No dia seguinte, o professor mostra aos alunos o resultado:

A primeira lombriga, depois de ficar chapadaça, está morta;
A segunda, soltando fumaça até pelas ventosas, está morta;
A terceira, grudada no fundo do pote, está morta;
E a quarta, em terra natural, está vivinha da silva.

O professor comenta então que ficou bastante nítido aquilo que é prejudicial. Satisfeito, dá um passo à frente e pergunta para a classe:

- Turma, o que podemos aprender com esta esclarecedora experiência?

Ao que Joãozinho (sempre ele) prontamente responde:

- Que temos de beber, fumar e bimbar para não termos lombrigas!!!!!



Três pra casar

Moe, Curly e Larry: os precursores da fórmula

A DÉCADA DE 80 foi a última onde alguns poucos times do futebol mundial, comandados por treinadores românticos, ainda usavam os pontas (ou, como prefere o vovô, 'ponteiros') em sua formação. Com raras excessões, tratavam-se de jogadores habilidosos, ariscos, endiabrados, que tinham no drible e na velocidade sua principal arma para desmontar as defesas e deixar a bola limpa para o centroavante de ofício executar seu trabalho.

Nos anos 90, foi a vez do 4-4-2 de Parreira e Zagallo dar as cartas. As tabelas pelas pontas e as jogadas em diagonal deram lugar a um futebol mais cartesiano, com cinco duplas em cada posição: dois laterais marcadores, dois volantes recuados, dois meias armadores e dois atacantes, de preferência um garçom e um matador.

Puxados pelos grandes esquadrões europeus - e pela excelente escola de treinadores gaúchos, liderados por Felipão - os primeiros anos do novo século consagraram o esquema 3-5-2. Dois zagueiros-zagueiros, um líbero, alas velozes que atacam e defendem e dois atacantes rápidos. A variação ficava por conta da meia-cancha, que poderia ter dois meias ou dois volantes. Felipão - vide seleção pentacampeã em 2002 - preferia dois volantes, com boa saída de bola.

Às portas da segunda década do XXI, eis que o trio de atacantes volta à cena. Manchester, Milan, Barcelona e Real Madrid, para restringir um pouco o amplo leque de exemplos, vêm obtendo (em maior e menor escala) êxito com o velho 4-3-3.


Cristiano, Tevez e Rooney: avalanche de gols em Manchester


Com laterais que privilegiam a marcação - sem abdicar do ataque - e um meio campo de pegada, os atacantes ficam livres para criar, tabelar, cair pelas pontas e arrematar à vontade. O treinador do Manchester, Sir Alex Ferguson, aproveitou o talento do trio Cristiano Ronaldo-Rooney-Tevez para montar um time ao mesmo tempo compacto e complicadíssimo de se marcar. Além de marcarem o adversário sob pressão, os três têm o dom do drible, e chegam à área adversária com muita facilidade. O resultado são as retumbantes goleadas que vem aplicando, e a alternância de liderança do Campeonato Inglês com o não menos empolgante Arsenal de Fabregas e Adebayor.

Real Madrid e Barcelona, os dois pibes espanhóis, também lançam mão do esquema da moda. O time merengue, que lidera o campeonato com folga, aposta suas fichas nas pedaladas de Robinho, na estrela de Raul e no faro de gol de Nistelrooy. Juntos, eles atingiram a impressionante marca de 29 gols em 21 jogos no Espanhol.

Seu eterno rival catalão já não tem a mesma magia de dois anos atrás, quando só faltava Ronaldinho fazer chover. Mas, com o trio Messi-Henry-Eto'o em campo - devidamente respaldados pelos meiúcas Xavi, Deco e Iniesta - fica difícil não encantar. O time segue na cola do líder, e, após concluída essa necessária fase de renovação (o que inclui uma temporada do craque brasileiro no banco), deverá voltar a seus dias de glória.


Pato, Kaká e Ronaldo: estréia com o pé direito


E o que dizer do Milan dos brazucas Kaká, Ronaldo e Pato? Tá, eles jogaram apenas três partidas juntos, e ainda não fizeram por merecer sequer a comparação com a trinca de Manchester. Mas que prometem, prometem. E como prometem! Principalmete por se tratar de jogadores com características distintas e complementares.

A julgar pela estréia, têm tudo para alçar o time de Milão de volta às primeiras colocações do Calcio. O duelo com a Inter de Julio Cruz, Crespo e Ibrahimovic vai transportar a italianada e os amantes do futebol de volta aos clássicos que marcaram os 90's, e que pautavam os domingos da bela Milão.


Leandro, Dodô e Washington: tem lugar pra todo mundo?

No Brasil, que insiste em não adaptar seu calendário ao do futebol europeu, o momento é de formação das equipes. Mesmo assim, já deu pra perceber que teremos uma boa dose de 4-3-3 por esses lados. E em times que entram como favoritos aos principais canecos da temporada.

No Rio, o Fluminense trouxe de uma tacada só os experientes Leandro Amaral, Dodô e Washington. Por serem jogadores de área - e por Thiago Neves e Conca também estarem no elenco -, tudo indica que um deles vai frequentar o banco. Mas, a julgar pelas preliminares, o técnico Renato Gaúcho quer os três em campo, juntos. Quem sabe?

No sul, pelos últimos treinos, o técnico Abel Braga deve dar o colete de titular a Iarley, Nilmar e Fernandão. Jogadores habilidosos, rodados e que já mostraram entrosamento nos acréscimos de 2007. O trio, que pode ter ainda a companhia do ex-corintiano Gil (o zicado Nilmar parece ter sofrido nova contusão), coloca o time Colorado como grande favorito à conquista da Copa do Brasil e da Sul-Americana.

Dagoberto, Adriano e Aloísio: ataque Tricolor de respeito

Já em São Paulo, que tem por tradição formar os melhores times do país, dois clubes acenam com trincas de atacantes de alto calibre. No Tricolor, Adriano se junta a Dagoberto e Aloísio para formar um ataque, no mínimo, de respeito. Com Aloísio fazendo o pivô, Dagoberto caindo pelas pontas e o Imperador disparando seus petardos, vindo de trás, ficará difícil evitar novas façanhas dos comandados de Muricy.

O único adversário regional à altura, pelo menos no papel, é o Palmeiras de Luxemburgo. Se o treinador acertar o posicionamento de Diego Souza, Valdívia e Alex Mineiro, a torcida do Verdão pode voltar a sonhar com as grandes atuações que marcaram as fabulosas equipes de 93, 94 e 96, dirigidas pelo mesmo Luxemburgo.

A sorte está lançada. Se depender dos Patetas, dos Mosqueteiros, das Superpoderosas e dos Porquinhos, os trios têm tudo para dar certo. Desde que nenhum Lobo Mau tenha fôlego para derrubar a casinha de tijolos.

29 de jan de 2008

Érika e Mallu, muito prazer!

COM ESSA CHUVINHA sem jeito que resolveu cair por essas bandas hoje, passei a tarde toda na net. De saco na lua de jogar ISKETCH, resolvi abrir o MSN e mergulhar no papo com a rapaziada. Sorte a minha, porque dois brothers - da época em que disputávamos a mesma pitchula na escola - me apresentaram duas cantoras de raro talento musical, e que divido aqui com vocês.



Uma delas é Érika Machado , essa aí de cima. Mineirinha de Belozonte, é artista plástica, mas decidiu profissionalizar seu hobby e lançou um disco, 'No cimento'. E se saiu maravilhosamente bem! Produzida por John Ulhoa do Pato Fu, já ganhou o prêmio Revelação pela Associação Paulista de Críticos de Arte, em 2006. Seu som é um bem-bolado de diversos estilos - MPB, Pop, eletrônico, bossa e rock. Olha aí a Erikinha com a Fê Takai, do Patu Fu:





A outra, bem... É uma grata revelação, dessas que surgem dia sim, dia não no MySpace. Gravem esse nome: Mallu Magalhães. Esse brotinho paulista que acabou de sair de seu baile de debutante faz o que muita mulher grande nem sonha em fazer. Toca violão e guitarra, compõe as músicas, assobia, canta e desenha. Ah, quero ela pra mim!

Entra aqui, ó, e veja a pequena Mallu com seus próprios olhos. Lá tem um vídeo dela mandando uma música do filme Johnny & June - muito massa, vou pedir pra Holly postar a respeito -, que fala sobre o lendário Johnny Cash, nos tempos em que cantarolava ao lado de ases do folk como Elvis Presley, Jerry Lee Lewis e Carl Perkins, e que tá também aí embaixo.



Fica aí a dica.

Aloha!



TOP da Marion - II

ESTOU MUITO CHATEADA com todos vocês. Ninguém lembrou do meu aniversário... Acabei de completar 12 anos na quarta-feira (23) e só o Brandon e a Vickye me ligaram. Ah, meu irmão lembrou também, mas ele não conta. Afinal, ele dorme na beliche comigo e viu a mamãe me cumprimentando.

Tudo bem que não teve festa surpresa no nosso clubinho, nem bolo com velinhas, mas eu fiz brigadeiro, e até preparei uma dança com meus pom-pons para apresentar a vocês. Que todo mundo é ocupado eu sei, nas férias a maioria viaja... Mas nem você Jo-jo??? Poxa!

Como ninguém gosta de ser esquecido – e para irritar os meninos - vou escrever sobre dois brotos que fazem aniversário neste mês, dando sequência à minha lista dos gatinhos TOP.


Orlando Bloom, completou 31 aninhos dia 13 de janeiro

Basta dar uma olhada aqui do lado para concluir: Bloom É LINDO. Começou sua carreira no cinema em 1997, com 'Wilde', mas atingiu o sucesso mesmo no papel do elfo Legolas, da trilogia 'O Senhor dos Anéis'. Com o cabelo louro, aqueles olhos azuis e seu arco e flecha, não precisava de mais nada para me conquistar.

Depois disso, arrancou mais suspiros em 'Piratas do Caribe' com seu Will Turner, namorado de ninguém menos que Keira Knightley. Exibe sua linda forma também nos épicos 'Tróia' e 'Cruzada'. Agora a melhor notícia para nós, meninas: Ele está solteiroooo!!! Ótima sugestão para presente de aniversário. Ô pirata, você não quer vir buscar seu tesouro?







Justin Timberlake, faz 27 dia 31 de janeiro

Ele é cantor pop, compositor, ator, produtor e dançarino. E charmoso demais! Como pode, né? Tornou-se famoso durante o período em que participou daquela boy band que só tinha discípulos do mal caminho, o N'Sync. Em 2002 lançou seu primeiro álbum solo, Justified, e vendeu mais de 7 milhões de cópias em todo mundo.

Após indas e vindas com Cameron Diaz e Britney Spears (ninguém é perfeito), Justin agora também está solteiro! Ultimamente, andou dizendo que abandonaria a carreira solo, o que seria uma perda irreparável para a música (prazer, Música!). Mas, vamos esperar. Por ora, deixo vocês com o clipe de 'What Goes Around Comes Around', onde Timberboy tira uma (senhora) casquinha de Scarlett Johansson:




Bjinhos,





PS: Não esqueçam mais de mim! Desnaturados.

EM CARTAZ - A Vida dos Outros

DIZEM QUE, a exemplo de seus produtores, os filmes alemães são frios. Discordo: os três que assisti até agora - 'Adeus, Lênin', 'A Queda' e 'A Vida dos Outros' - provam justamente o contrário. São verdadeiros convites a uma imersão na complexidade das relações humanas, tratadas com sensibilidade de fazer inveja a qualquer discípulo de Almodóvar.

Como estou dando um gás nos filmes que ainda estão passando nas telonas, vou dar uma pincelada no terceiro. Mas aconselho de olhos fechados a assistirem os outros dois, verdadeiras pérolas do ascendente cinema alemão.



A VIDA DOS OUTROS ('Das Leben der Anderen', 2006)
Drama, 137 min.



Direção e Roteiro: Florian Henckel von Donnersmarck
Com: Sebastian Koch, Ulrich Mühe e Martina Gedeck

Sinopse: Ministro da Alemanha Oriental, com segundas intenções, ordena que o maior dramaturgo do país (Koch) seja vigiado pelo serviço secreto. O trabalho é designado ao frio Capitão Wiesler (Mühe), que, ao participar do cotidiano do autor, mergulha em sua vida íntima e passa a compartilhar de seus ideais.

Bastidores:
*O orçamento do longa foi de modestos US$ 2 milhões;
*É o grande recordista de indicações da história da premiação anual alemã, concorrendo em 11 categorias.

Oscar: venceu o de Melhor Filme Estrangeiro, em 2007, além de 5 outros prêmios de Melhor Filme e 3 de Melhor Ator (Ulrich Mühe).

Por que assistir: A Vida dos Outros é mais que um filme. Aliás, o que ele menos parece é um filme. Com roteiro e direção impecáveis e atuações contidas no limite do impessoal, fuzila seu consciente e vai direto no sub, mexendo com a emoção e a idéia do que é certo e o que é errado. Ulrich Mühe arrebenta no papel do gélido e solitário Capitão Wiesler, e os diálogos entre os dramaturgos da Alemanha Oriental (brilhantemente reconstituída) são deliciosos. Como diz o cartaz acima, uma Masterpiece. Ou, como diz na terra do chucrute, uma Meisterwerk!


Avaliação: @@@@@ IMPERDÍVEL!!!


Trailer:


28 de jan de 2008

EM CARTAZ - Desejo e Reparação

PARA DEIXAR VOCÊS com um gostinho de OSCAR na boca, aí vai o primeiro dos indicados:

DESEJO E REPARAÇÃO (‘Atonement’, 2007)
Drama, 130 min.


Direção: Joe Wright (‘Orgulho e Preconceito’)
Roteiro: Tim Bevan, Eric Fellner e Paul Webster; adaptado do best seller Reparação, de Ian McEwan
Com: Keira Knightley, James McAvoy, Romola Garai, Saoirse Ronan e Brenda Blethyn.

Sinopse: Aos 13 anos, a jovem Briony (Saoirse/Romola) já demonstra ter um grande talento como escritora, principalmente por sua criatividade. Um dia, ela pensa ter visto sua irmã mais velha, Cecília (Keira), sendo assediada por Robbie (James), o filho da governanta de sua casa. Ela fica em silêncio até o dia em que uma prima é estuprada. Levada por sua imaginação, Briony tem certeza de que foi o jovem Robbie, e o acusa. O rapaz é preso, mas Cecília, apaixonada por ele, não acredita na acusação.

Bastidores:
*O orçamento do filme foi de US$ 35 milhões;
*Inicialmente, Abbie Cornish interpretaria a personagem Briony Tallis aos 18 anos, mas acabou desistindo por estar filmando Elizabeth: A Era de Ouro;
*Joe Wright queria que Keira Knightley interpretasse a personagem Briony Tallis no final de sua adolescência. A atriz pediu para interpretar Cecilia, já que gostava mais desta personagem e queria o papel de uma mulher mais madura;
*Romola Garai rodou todas as suas cenas em apenas 4 dias.


♠ Informações retiradas do site
AdoroCinema

Oscar: recebeu sete indicações para a premiação deste ano: Melhor Filme, Melhor Atriz Coadjuvante ( Saoirse Ronan), Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte, Melhor Figurino e Melhor Trilha Sonora.

Por que assistir: Filmes de guerra nem sempre chamam a atenção de qualquer um. Com filmes de amor, acontece o mesmo. E quando o filme consegue atrair a atenção de todo mundo? Com Desejo e Reparação é assim. Com cenas de guerra, romance, suspense, e tudo que uma super produção tem direito, envolve de cara e dá o maior prazer para quem está sentando na poltrona. As atuações, como a de Saoirse Ronan – de apenas 13 anos – surpreendem. Keira Knightley está linda como sempre e convincente como nunca no papel de Cecília.

Avaliação: @@@@@ IMPERDÍVEL!!!!

Trailer:



Holly Kiss!!!

EM CARTAZ - P.S. Eu te amo

SAINDO MAIS UM do fornooooooooo!!!

P.S. EU TE AMO ('P.S. I love you', 2007)
Comédia Romântica, 123 min.


Direção: Richard LaGravenese (‘Escritores da Liberdade’)
Roteiro: Richard LaGravenese, Steven Rogers, baseado no best-seller de Cecelia Ahern
Com: Hilary Swank, Gerard Butler, Lisa Kudrow, Gina Gershon, Kathy Bates e Harry Connick Jr.

Sinopse: Minha xará Holly Kennedy (Swank) é uma jovem bonita, feliz e realizada. Casou-se com o homem de sua vida, o divertido e apaixonado Gerry (Butler). Mas, desgraçadamente, ele fica doente e morre, deixando Holly em estado de choque. Antes de falecer, Gerry deixa para a esposa uma série de cartas. Mensagens que surgem de forma surpreendente, sempre assinadas da mesma forma: "P.S. I Love You". A mãe de Holly (Kathy) e as melhores amigas dela, Sharon (Gina) e Denise (Lisa), estão preocupadas porque as cartas mantêm a jovem presa ao passado. Mas o fato é que as cartas estão ajudando a aliviar sua dor e guiá-la a uma nova vida.

Bastidores:
*A abreviação P.S. vem do latim post scriptum, que indica algo que vem escrito após a assinatura em uma carta;
* O longa foi filmado na Irlanda (que tem belas paisagens, diga-se de passagem);
*Não se deixe enganar: Gerard Butler, apesar da cara de bom moço aqui, é o mesmo ator que arrepiou em 300 e Tomb Raider;
*Denise é a saudosa Phoebe, ex-estrela da cultuada sitecom Friends;
*A protagonista tem o mesmo nome que o meu!

Por que assistir: Se você é do tipo de pessoa que gosta de filmes de amor, esse é um ótimo motivo pra não perder esse. Romântico sem ser meloso, com ótima atuação de Hillary – que realmente convence com seu sofrimento – e com belas paisagens da Irlanda, o filme é completinho e emocionante. Só prepare-se para chorar e desejar profundamente encontrar um cara que seja louco por você como Gerry é por Holly - alguém bonito como ele já seria realmente tentador! O pontinho negativo fica para o final. Calma, não vou contar! Mas é bem clichê, como toda comédia romântica pede.

Avaliação: @@@@ FILMAÇO!

Trailer:





Holly Kiss!!!

27 de jan de 2008

EM CARTAZ - Meu nome não é Johnny

COMO ULTIMAMENTE o tempo aqui em Nova Piripiri não anda lá essas coisas, tirei o final de semana para ver alguns filmes que estão em cartaz (como se isso fosse desculpa pra Holly mergulhar na poltrona e ficar hipnotizada pela telona!).

Apesar de ter me surpreendido com produções que eu não daria uma pipoca murcha, confesso que fiquei desapontada com a falta de criatividade e imaginação nos roteiros, principalmente os made in USA. Será reflexo da greve dos autores yankees? Mistério.

Anyway, vou postar umporveiz aqui, para vocês darem seus próprios pitacos. Fico devendo, por ora, os cinco indicados ao Oscar*, que ainda não deram o ar da graça por esses lados - mas que logo menos estarão na área (pócobrar!).

*Uma peninha que a jóia de Cao Hamburger tenha sido preterida pela 'Academia'. Mas não por isso: você é muito maior que o clube das Barbie panelinhas, Cao! E O ano que meus pais saíram de férias, apesar do nome gigante, é sutil e simples como seu brilhante diretor.


MEU NOME NÃO É JOHNNY (2007)
Drama, 126 min.




Direção: Mauro Lima ('Loura Incendiária', 'Tainá 2')
Roteiro: Mariza Leão e Mauro Lima, baseado no livro de Guilherme Fiúza
Com: Selton Mello, Cléo Pires, Júlia Lemmertz e Cássia Kiss

Sinopse: O filme conta a história do playboy carioca João Guilherme Estrella (Selton), que dividia seu tempo entre as festas de arromba ao lado de sua namorada (Cléo) e a lucrativa rotina de venda de drogas no Rio de Janeiro da década de 80. Tudo alto astral, como dizia Johnny. Até ser pego em flagrante e ter de encarar o outro lado da moeda.

Bastidores:
*O diretor Mauro Lima soube de 'Meu Nome Não é Johnny' através da Columbia Pictures do Brasil, mesma distribuidora de Tainá 2. A produtora Mariza Leão estava então à procura de um diretor para o filme, e Lima, muito solícito, colocou seus serviços à disposição;
* A maratonista Cléo Pires começou a filmar apenas cinco dias depois de terminar as gravações da novela Cobras & Lagartos;
* Além do Rio de Janiero, Barcelona e Veneza foram as cidades escolhidas pela equipe de produção para filmar;
* Rodrigo Amarante, do Los Hermanos, faz uma pontinha no filme - justamente oferecendo uma 'pontinha' para o pequeno Johnny e seus amigos de infância, na Pedra do Arpoador.


♠ Informações retiradas do site
AdoroCinema



Por que assistir: apesar da edição xumbrega e da trilha sonora totalmente out, o filme tem lá seus acertos. Selton Mello está bem à vontade no papel de Estrella, e mostra sintonia fina com Cléo Pires. Seu jeito canastrão conquista sem forçar a barra, e é ele o responsável pelo pH neutro do filme. Seu papo malandro tem o ponto alto nos diálogos com Cléo e com os prisioneiros, em passagens que lembram os melhores momentos de Leléu ('Lisbela e o Prisioneiro') e Chicó ('O Auto da Compadecida'). Boas participações de Júlia Lemmertz (mãe de João), Cássia Kiss (juíza) e Rafela Mandelli, ex-Malhação e aqui amiga lesada e fiel do protagonista.

Avaliação: @@@ LEGALZINHO.

Trailer:



Holly Kiss!!!


23 de jan de 2008

O quinto elemento

Valdívia vai pra galera: Mago agora terá Diego Souza para dividir a armação das jogadas/Lancepress



BASTOU EU APONTAR Flamengo, Fluminense, Inter e São Paulo como os times mais fortes desse início de temporada, pro Palmeiras ficar encafifado e fechar um pacote de contratações para encher de esperança até o coração de seu mais cético torcedor.

Além de Alex Mineiro e Élder Granja, que já haviam batido o martelo com a diretoria verde antes da pré-temporada, mais seis jogadores devem em breve se juntar a Diego, Pierre, Valdívia e cia.: o zagueiro Henrique, o lateral esquerdo Leonardo, os meias Diego Souza e Léo Lima e os atacantes Lenny e Jorge Preá só aguardam o acerto em sua documentação para vestirem o manto verde.

Com excessão de Preá, ídolo apenas em Pelotas (RS), todos os outros já mostraram seu valor. Destaque para Leonardo, apontado no Canindé como o novo Roberto Carlos, e para o meia Diego Souza, que gastou a bola no tricolor gaúcho e tem tudo para formar uma dupla memorável com o chileno da foto acima.

A julgar pelo bom começo no Campeonato Paulista (2v e 1e), o time do Parque Antártica promete dar trabalho com uma equipe veloz e ofensiva, bem ao gosto de seu treinador.


PALMEIRAS

Provável time-base: 4-3-3

Diego, Élder Granja, Henrique, Gustavo e Leonardo; Pierre, Martinez e Diego Souza; Valdívia, Lenny e Alex Mineiro.
T: Vanderlei Luxemburgo


Anna Lise: forte na defesa, ágil no meio e veloz no ataque. Essa deve ser a cara do Palmeiras, que com a experiência de Luxemburgo poderá voltar a sonhar com títulos, coisa que não acontece desde 1999, quando Felipão esbravejava no banco. Se Valdívia controlar seus nervos - e se o técnico não se meter em confusão, como costuma fazer - tem tudo para fazer de 2008 um ano memorável.

Carlton Nostradamus Fox: é, ao lado do São Paulo, o favorito à conquista do Paulistão. Deve chegar às finais da Copa do Brasil, onde terá que rebolar para derrotar adversários cascudos, como Corinthians, Botafogo, Grêmio e Inter. Se não sofrer um desmanche no meio do ano, tem tudo para brigar pelo título brasileiro.


Saudações da Terrinha,



As cortinas se fecham...


É CURIOSA A SENSAÇÃO que nos invade quando um artista famoso passa de estrela das telas e palcos para estrela no céu. É quase como perder algum ente próximo, como um primo de terceiro grau, um tio avô ou um vizinho. A reação quase sempre passa por um processo padrão: primeiro ficamos incrédulos, já que chacotas do tipo são comuns em tempos de correntes idiotas e marketing viral. Depois, ainda cabreiros, vamos averiguar a possibilidade da balela ser verdadeira. Por fim, desacreditados, nos damos conta de que (PutaMerda!) - é verdade mesmo.

Nessa semana o mundo perdeu, de uma tacada só, dois atores não-tão-conhecidos-assim, mas muito bons em seu contexto: o comediante brasileiro Luiz Carlos Tourinho, 43, e o galã australiano Heath Ledger, de apenas 28 anos de idade.

Tourinho, que começou no teatro, passou pelas novelas Kubanacan e Suave Veneno, além de fazer boa figura no inigualável Sai de Baixo. Mas o reconhecimento por seu talento viria um pouco depois, ao lado de Heloísa Perissé e Ingrid Guimarães, com seu atrapalhado garçom Franco, de Sob Nova Direção.

Faleceu na segunda-feira, vítima de um aneurisma cerebral. Pra quem não sabe o que é (eu mesma não fazia idéia), trata-se de uma "dilatação anormal de uma artéria do cérebro que pode levar à sua ruptura". Diabéticos e hipertensos estão normalmente sujeitos à doença, que mata aproximadamente um terço de seus portadores.

Um dia depois, foi a vez de Ledger. Mais conhecido como o cowboy homossexual de 'Brokeback Mountain', fez também outros filmes de relativo sucesso, como 'O Patriota', 'Casanova', 'Coração de Cavaleiro' 'Os Irmãos Grimm', 'A Última Ceia' e o teen '10 Coisas que eu odeio em você'. Por suas atuações, recebeu 27 indicações a prêmios, levando para casa 13 troféus.

Viciado em heroína e em depressão por conta de sua separação (foi casado com a atriz Michelle Williams, com quem teve uma filha em 2005), foi encontrado sem vida em seu apartamento pela massagista que o atenderia, ao lado de um punhado de remédios (a maioria deles para insônia). A causa real de sua morte ainda não foi revelada.

Estranho será ver Tourinho, ou melhor, Nezinho, dando das suas na novela das seis. Assim como o Coringa de Ledger (da nova sequência do Batman, 'The Dark Knight', que deve chegar por aqui em breve).

Tão perto, e tão longe. As cortinas se fecham para a dupla, que, mesmo-não-tão-famosos-assim, deixarão saudades em muita gente.



21 de jan de 2008

Os Lee


Ebaaaaaaaaaaaaaa!!! Então agora vou ter um cantinho com meu nome! Obrigado pessoal, pela confiança no taco do Bran aqui. Sobre mim? Bem, sou um cara menos corajoso do que queria, mais acanhado do que gostaria, e com uma mania sem jeito: falo sozinho a todo momento.

Depois do Carnaval começo minhas aulas de piano (uhuuu!) e o curso de culinária-mirim que mamãe me inscreveu. Cozinhar é comigo mesmo: faço uma gelatina, um ovo e um miojo que é daqui, ó!

Quero chamar a atenção de todos que passarem os olhos por aqui para esse ano de 2008 - depois dele, o mundo jamais será o mesmo.


Nome: Brandon Maurice Lee
Idade: 9 (28/abr/1998)
Ídolos: Truman Capote e Clarice Lispector
Mulher bonita: a mamãe
Filmes: Escritores da Liberdade e Irmão Urso
Música: Your song (Elton John)
Bebida: gatorade
Medo: de vampiro
Objeto inseparável: Koda, meu ursinho
Lema: "Ela acreditava em anjos e, porque acreditava, eles existiam." (C.L.)

Os Wood


Oie!!! Meu nome é Carollyn, mas todo mundo me chama de Holly. Como Jo-jo adiantou, sou ta-ra-da por teatro, filmes e cinema (vou ser atriz quando crescer). Desde os Blockbusters com som megadoubledolbysorroundestéreodigital, explosões e flashbacks de dar cambalhota no cerebelo, até as produções mais humildes do leste europeu e do Brasil, que vem melhorando muito com as lições aprendidas em Hollywood e na terra dos irmãos Lumiére.

Estou muito contente de poder dividir minhas opiniões com vocês; espero que aproveitem as dicas e busquem, ao ver a telona acendendo, mais do que um bom motivo pra beijar o(a) gatinho(a) que segura sua mão. Afinal de contas, filme bom é aquele que não acaba na sala de projeção.

Vai ter o bate-bola? Ok, let's go!

Nome: Carollyn Jeddedaiah Wood
Idade: 11 (29/dez/1996)
Ídolos: Hitchcock e Marylin Monroe
Filme: Efeito Borboleta
Programa de TV: vale o Oscar?
Medo: de palhaço
Vício: pipoca com manteiga extra
Com meu 1º namorado, aprendi... a gostar do Che Guevara
Dia perfeito: sessão de cinema tripla, bem acompanhada, com muita pipoca e Frutella
Lema: "Manda quem pode, obedece quem tem juízo."

20 de jan de 2008

Memórias do litoral


HUMANO É UM bicho engraçado. Especialmente aqueles que moram no Brasil. Do meio pra baixo. Os que vivem na capital paulista, então, nem se fala. Vivem reclamando do trânsito, da correria, da falta de tempo pra comer e bater papo, das filas no banco, no supermercado, na balada, no cinema.

Aí, quando têm a oportunidade de se livrar do futum cotidiano e relaxar no mês de férias, fazem o quê? Se abarrotam no metro quadrado onde instalam seu guarda-sol. E é bom que ele seja em formato de golfinho, fosforescente ou que tenha o desenho do Bob Esponja - senão, a chance de encontrá-lo após o banho de mar é tão grande quanto achar o carro no estacionamento do shopping quando você, pra variar, esqueceu de decorar a latitude e a longitude da bendita vaga.

E por falar em banho de mar, já reparou como o do litoral sul é curioso? Dizem que o mar é profundo, imprevisível e guarda uma porção de segredos lá no fundo. Nesse caso, os 'segredos', quando não estão boiando, ficam ali no rasinho mesmo, grudados na areia. É o Kinder ovo do tio Netuno: a cada passo em direção às ondas, uma surpresa. Embalagens de sorvete, tampa de garrafa, saco plástico e seres pegajosos que te fazem agradecer o fato de não poder enxergar o fundo. Coidelôco!

De volta à sombrinha sagrada, você repara, ao mirá-la à distância e compará-la com as vizinhas, em toda sua insignificância. Pois é, não teve jeito - a mania de grandeza do paulistano desceu a serra. Agora quem dá A sombra são barracas ostentosas, tendas arabian style que formam lotes de oásis povoados por famílias-buscapé que vêm de todos os cantos.

Em comum, elas trazem aquela meia dúzia de personagens onipresentes: a vovó de maiô e chapéu de palha com suas palavras-cruzadas; o tio calvo, peludo e pançudo que controla o fluxo de cervejas do cooler; a prima adolescente, de bruços na esteira, caprichando na marquinha do biquíni e olhando disfarçadamente a rapaziada que joga bola; o pai, que após guardar as raquetes de frescobol pega o cardápio para escolher o petisco que acompanha a gelada; e a mãe, que enquanto pensa na panela de feijão apitando na cozinha retoca o protetor solar do caçula que se acaba em sua piscininha particular. O time completo!

E o que falar das lan-houses litorâneas, sempre lotadas até o tubo? Depois de se livrar da areia que insiste em procurar abrigo nos locais mais inusitados - e inconvenientes - dos países baixos, de dar aquela passada na sorveteria por quilo (onde só falta colocarem danoninho de acompanhamento) e de passear na feirinha de 'artesanato' local, é hora de entrar naquela caverna com ar-condicionado para ver o email, os recadinhos no orkut, e claro: teclar com a galera online, para contar as últimas peripécias praianas e fazer inveja para os caretas e peões que não quiseram/puderam sair de Sampa.

Na volta para casa, aquele trânsito infernal que faz a festa dos vendedores de bananinha e biscoito de polvilho, o silêncio que toma conta do carro enquanto cada um vasculha seu universo particular, e a lembrança daquele sorriso que ganhou de passagem quando andava na beira do mar, gosto de sal na boca, um chinelo em cada mão e o peito cheio de esperanças de um ano ensolarado, como o fim de tarde que se desfaz às suas costas.

"Raspadinha boa é aquela do carrinho de madeira velho, que vem com as garrafas coloridas balangando ao sol. Com leite condensado duplo."


18 de jan de 2008

Trilha sonora da abertura do Paulistão: The Killers!

Depois da bomba de canhota, Adriano vai pra galera/ VIPCOMM


O CAMPEONATO PAULISTA mal começou e já temos indícios de quem serão os protagonistas do torneio: com dois gols cada, os centroavantes Adriano, Alex Mineiro e Finazzi comandaram as vitórias de seus times e prometem travar uma acirrada disputa pela artilharia da competição.

Em Guaratinguetá, o São Paulo penou para bater os donos da casa. Com os reforços Joílson, Juninho, Fábio Santos e Adriano em campo desde o início do jogo, o time de Muricy Ramalho foi dominado pelo Guará, que foi pro intervalo com 1x0 no placar. No segundo tempo, bastaram 45 segundos para a coisa mudar de figura: após bela jogada do zagueiro Miranda pela esquerda, a bola sobrou para Adriano, que da entrada da área acertou um canudo no canto direito do goleirão Fábio: 1x1.

As entradas de Souza e Aloísio Chulapa, no lugar de Dagoberto e Fábio Santos, deram mais volume de jogo ao Tricolor, que conseguiu a virada aos 34'. Após falta sofrida por Aloísio pela direita, Adriano ajeitou a bola carinhosamente e bateu colocado, rasteiro. Fábio, traído pela barreira saltitante, parecia que chegaria nela, mas não deu: 2x1 São Paulo, dois gols de Adriano, que comemorou com seu soco-banana no ar. Bravo, intrépido, imponente - digno de um Imperador.

Alex Mineiro comemora: estréia avassaladora/Lancepress

Se a primeira impressão é a que fica, Alex Mineiro vai ter uma longa lua-de-mel com a torcida palmeirense. Na estréia do Palmeiras em 2008, o centroavante marcou dois gols e iniciou a jogada do terceiro. Aos 32 anos, Alex mostrou muita disposição e oportunismo em sua estréia, e foi a grande estrela do duelo em Barueri.

Seus dois tentos foram anotados por sua ovalada e reluzente cabeça, após cruzamentos certeiros dos alas Leandro e Élder Granja, o outro estreante da noite. O terceiro coube ao garoto Willian, que entrou bem no lugar de Makelele e completou bela jogada de Leandro pela esquerda. Um bom recomeço para Luxemburgo no alvi-verde, e um ótimo início de temporada para o nove do Verdão, que chega para exorcizar a uruca que tomou conta da camisa que foi de César, Evair, Luizão e Love.


Finazzi abre os braços para a Fiel: noite de gala/Lancepress

Se depender de Finazzi, a torcida do Corinthians pode ficar despreocupada: assim como seus dois arqui-rivais, o time também tem seu matador. Com dois gols, o veterano centroavante mostrou que a fase continua boa, e a dupla com o uruguaio Acosta promete fazer estragos.

A torcida corintiana fez questão de mostar que não vai abandonar o time nesse ano. Na estréia do time, quase 30 mil torcedores compareceram ao Morumbi para assistir a noite de gala de Finazzi e seus bons coadjuvantes: Acosta, Dentinho e os laterais Eduardo Ratinho e André Santos. O quinteto deitou e rolou sobre o frágil Guarani, que parecia ter entrado em campo apenas para se defender.

Todos os três gols foram marcados na segunda etapa da partida. O primeiro, meio sem querer-querendo, veio em cruzamento de Dentinho, aos 20': o goleiro Bruno rebateu, a bola pegou no joelho de Finazzi e morreu no fundo da rede. O segundo veio seis minutos depois, após escapada de Acosta pela direita: o uruguaio se livrou de dois marcadores, foi à linha de fundo e cruzou para Dentinho, que escorou com o peito e ampliou. Já nos acréscimos, o arisco Dentinho, que fez sua melhor partida pelo clube até agora, sofreu pênalti. Finazzi cobrou duas vezes para dar números finais à partida.

Um começo de Primeira para o time que caiu para a Segunda no ano passado e teve oito estréias já em seu primeiro jogo - além do técnico Mano Menezes, os zagueiros William e Chicão, o lateral André Santos, o volante Perdigão, os meias Alessandro e Marcel e o atacante Acosta debutaram com a camisa alvi-negra. Mas, na noite dos matadores, a festa no Morumba já tinha dono: Finazzi, o ogro da Fiel.

12 de jan de 2008

Lee e Wood

QUANDO NOS REUNIMOS para formar o Clube, sempre rechacei que 7 era o número mágico. Por conta da numerologia, dos pecados capitais, das esposas de Chico Anísio, das maravilhas do mundo. No entanto, pelo andar da pangarezada - e por eu ser adepto do 'Raulzito way of life' -, resolvi abrir uma dupla excessão. Em 2008, a família Pentelhos ganhará dois novos integrantes: Brandon Lee e Holly Wood.

Pensamos em fazer uma iniciação à base de farinha, ovos e condecoração das pombas do coreto, mas como Carlton tá na fazenda, Tony não voltou de Cuba e os Jones foram pro Beto Carrero, deixaremos as 'formalidades' para depois do carnaval. Aí vão as fotos e algumas poucas palavras dos novos reforços:

Lee já era colaborador do blog no ano passado, quando, ainda cabeludo, cobriu os treinos da Marion. Mostrou ter espírito de grupo, mandou bem nos posts, passou no exame médico e agora se junta a nós, em 'definitivo'.



Wood é a melhor amiga de Vickye, ex-senhora Tabasco e figurinha carimbada em todos os cinemas de Nova Piripiri (tá bom, tá bom, nós só temos dois deles por aqui). Como os treinos das cheerleaders está cada vez mais puxado e a Marion agora é a chefe (quem diria!), ela vai cobrir os filmes que pintarem no cinema e comentar as pérolas guardadas nas locadoras por aí.


Bom, acho que não faltou nada...

Brandon, Holly: sejam bem-vindos!!!!



10 de jan de 2008

4 Esquadrões e um Bebê

Pelotão Tricolor no treino/Globoesporte.com


ENQUANTO A COPA SÃO PAULO de Futebol Juniors come solta, os clubes se preparam para a temporada de 2008. E olha: nesse ano, novidade é o que não falta. Parece que foi preciso o São Paulo conquistar o principal campeonato do país com cinco rodadas de antecedência para os outros times acordarem para a realidade.

A julgar pelas contratações, dois cariocas largam na frente na missão de bater o tricolor paulista. Flamengo e Fluminense trouxeram bons reforços, e se juntam ao Inter na condição de promessas do 1º semestre. Quanto ao bebê, bem... apesar de ser recém-nascido, deve dar trabalho. Dizem que já está engatinhando, o danado, com seu bonezinho de lado e o macacãozinho alvi-negro. Ah, e parece que puxou o pai - mal sabe falar e já é devoto de São Jorge.

A seguir, uma breve pincelada no quarteto, com os pitacos do adivinho do blog:


FLAMENGO - cadê Ronaldo?


Quem chegou:

ZG - Rodrigo (Dínamo de Kiev)
VL - Gavilán (Grêmio)
MD - Marcinho (Atlético MG) e Jônatas (Espanyol)
AV - Éder (Guarani)

Quem pegou o chapéu:

ZG - Helder (Boa Vista/RJ)
MD - Roger (Corinthians)
AV - Leonardo (Paraná) e Bruno Mezenga (Macaé)

Quem pode pintar:

AV - Diego Tardelli (São Paulo), Falcão García (River Plate) e Bruno Moraes (Porto)

Provável time-base: 4-4-2

Bruno, Léo Moura, Rodrigo, Fábio Luciano e Juan; Gavilán, Kléberson, Ibson e Renato Augusto; Obina e Souza.
T: Joel Santana

Anna Lise: não é um timaço, mas é equilibrado em todas as posições. Tem uma das melhores defesas do país, com uma dupla de zaga consistente e experiente e laterais ofensivos. O meio-campo é forte e criativo, e o ataque, com mais um ou dois reforços, será também perigoso.

Carlton Nostradamus Fox: não acredito que vá longe na Libertadores, mas o time desponta como favorito para conquistar o Carioca. Se não vender ninguém - e Joel não começar com suas lambanças -, vai lutar pelo título Brasileiro.


FLUMINENSE - banzaaaaaaaaaaaaaaiiiiiii!


Quem chegou:

LE- Gustavo Nery (Corinthians)
ZG - Rodrigo (Dínamo de Kiev)
MD - Ygor (Start) e Conca (Vasco)
AV - Leandro Amaral (Vasco), Dodô (Botafogo), Washington (Urawa Reds)

Quem pegou o chapéu:

LE - Ivan (sem clube)
MD - Juliano (sem clube)
AV - Alex Dias e Jean (Vasco), Adriano Magrão (sem clube)

Quem pode pintar:

MD - Jádson (Shakhtar Donetsk)

Provável time-base: 4-3-3

Fernando Henrique (Diego), Gabriel, Thiago Silva, Luiz Alberto e Gustavo Nery; Arouca, Thiago Neves e Conca; Leandro Amaral, Washington e Dodô.
T: Renato Gaúcho

Anna Lise: tá, vai, o esquema acima é kamikaze total. Mas, se funcionar, é uma máquina! O Flu tem o melhor time do país do meio pra frente (conta ainda com os bons atacantes Cícero e Soares), e se Renato Gaúcho souber pôr em prática a marcação por pressão, vai colher maduro.

Carlton Nostradamus Fox: gosto demais desse time. Vai precisar de cautela para ir longe na Libertadores (deve chegar até às quartas), e desponta desde já como um dos favoritos ao caneco do Brasileirão.


CORINTHIANS - unhéééééééé...

Quem chegou:

T - Mano Menezes (Grêmio)

LD - Alessandro (Santos)

LE - André Santos (Figueirense)

ZG - William (Grêmio), Chicão (Figueirense), Suárez (Unión San Felipe), Valença (Náutico)

VL - Perdigão (Vasco)

MD - Rafinha (São Bernardo), Marcel (Palmeiras)

AV - Acosta (Náutico), Lima (São Caetano), Herrera (Gimnasia La Plata)

Quem pegou o chapéu:

T - Nelsinho Baptista (Sport)

GK - Marcelo (Ituano)

LE - Gustavo Nery (Fluminense)

ZG - Betão (Santos), Zelão (Saturn), Kadú (Bragantino) e Fábio Braz (sem clube)

VL - Rafael Fêfo (Marília), Ricardinho (sem clube)

MD - Roger (sem clube)

AV - Wilson, Clodoaldo, Arce, Júnior Negão (sem clube)

Quem pode pintar:

VL - Fabinho (Toulouse)


Provável time-base: 3-5-2

Felipe, William, Chicão e Suárez; Alessandro, Perdigão (Carlos Alberto), Lulinha, Rafinha (Herrera) e André Santos; Acosta e Finazzi.

T: Mano Menezes

Anna Lise: como não poderia ser diferente, o Timão nasceu de novo - dispensou um time inteiro e contratou outro. No papel ficou bem cascudo, como pede a Segundona e a Copa do Brasil. Discordo dos que criticam as contratações. A zaga é jovem e compacta, os laterais são talentosos e a dupla de ataque, apesar de feia pra dedéu, tem talento para botar a bola pra dentro.

Carlton Nostradamus Fox: acredito no novo Curíntia. Com Mano no comando, o Timão fará boa figura no Paulista, vai até a finalíssima da Copa do Brasil e chega, aos trancos e barrancos, entre os quatro que sobem para a elite.



INTERNACIONAL - a volta dos diabos vermelhos

Quem chegou:

LD - Bustos (Grêmio)

MD - Andrezinho (Pohang Steeler)


Quem pegou o chapéu:

LD - Élder Granja (Palmeiras)
AV - Cristhian (Portuguesa)

Provável time-base: 4-4-2

Clêmer (Renan), Bustos, Orozco, Sidnei e Marcão; Wellington Monteiro, Magrão, Guiñazu e Alex; Fernandão e Nilmar.
T: Abel Braga

Anna Lise: já começou o ano bem, com o título de Dubai (venceu o Stuttgart e seu xará italiano na final). Fortíssimo em casa e com a base de 2007 mantida, aposta na força da dupla Nilmar e Fernandão para conquistar o gaúcho e a Copa do Brasil. É o time mais forte fora do eixo RJ-SP.

Carlton Nostradamus Fox: Inter, Inter... Parece que há uma mística nessa camisa vermelha, que cresce demais quando joga fora do país. É uma pena que não esteja na Libertadores, mas deve compensar com um título gaúcho e outro da Copa do Brasil.

...


Times realmente promissores. No entanto, terão que se desdobrar para terem um elenco, prática que o São Paulo cultua há pelo menos quatro anos. Vamos ao balancê do Tricolor:


SÃO PAULO - nas barbas do Imperador

Quem chegou:

LD - Joílson (Botafogo)

ZG - Juninho e Alex (Botafogo)

VL - Fábio Santos (Cruzeiro)

AV - Adriano (Inter de Milão)

Quem pegou o chapéu:

ZG - Breno (Bayern Munique)

LE - Jadílson (Cruzeiro)

VL - Fernando (sem clube)

AV - Diego Tardelli (sem clube)

Quem pode pintar:

VL - Dudu Cearense (CSKA)

MD - Pedro Ken (Coritiba)

AV - Éder Luís (Atlético MG)

Provável time-base: 3-5-2

Rogério Ceni; Alex Silva, Miranda e Juninho; Joílson, Hernanes, Richarlyson, Jorge Wagner e Junior; Dagoberto e Adriano.

T: Muricy Ramalho

Anna Lise: basta dizer que o time campeão brasileiro com sobras é praticamente o mesmo, com um reforço de (muito) peso: o imperador Adriano. A manutenção do treinador e da base e a contratação definitiva de Jorge Wagner deixam o São Paulo na mesma posição dos últimos três anos: favorito a tudo.

Carlton Nostradamus Fox: se Adriano colocar a cabeça - e o copo - no lugar e as contusões não afetarem o time, o São Paulo tem tudo para ser campeão de todos os torneios que disputar. Aposto minhas fichas mesmo na Libertadores, com Adriano artilheiro e mais dois ou três jogadores negociados a peso de ouro.

...

Além dos TOP 5, vale ressaltar o time do Palmeiras, que trouxe Vanderlei Luxemburgo e comissão e luta para contar com reforços de peso. Se concretizar a contratação do meia Diego Souza e das revelações do Coritiba (Henrique, Pedro Ken e Keirrisson), entrará no seleto grupo acima, e será o grande favorito à conquista do Paulistão, título que conquistou pela última vez no distante 2006.

Saudações da Terrinha,


Hora de arrumar a mala!



PARA DAR O PONTAPÉ inicial em 2008 com o direito, segue um textinho adaptado do biomédico Paulo Valzacchi, que vem bem a calhar nesse momento recheado de novas e boas e inusitadas intenções.

Bagagem de mão

Quando sua vida começa, você tem apenas uma pequenina mala de mão. À medida que os anos vão passando, a bagagem vai aumentando, pois existem muitas coisas que você recolhe pelo caminho por pensar que são muito importantes - algumas realmente são. Afinal, para que carregar uma mala se você não pode colocar nada nela?

Num certo ponto do caminho, você começa a sentir o peso insuportável da mala por carregar tantas coisas, e é nesse momento que você vai fazer sua escolha. Uma opção é ficar sentado na beira do caminho, esperando que alguém o ajude (saiba que isso vai ser difícil, pois todos os que passarem por ali já terão a sua própria bagagem).

Outra, é optar por ficar a vida inteira esperando (muitas pessoas infelizmente ficam uma vida inteira à espera de alguém que possa aliviá-la de seu peso. Geralmente essas pessoas sempre estão aguardando para que pessoas com quem se relacionam tenham o poder de fazê-las feliz, que as alivie desse peso, e ficam esperando e esperando até que seus dias se acabem. Isso é existir e não viver; há uma grande diferença entre os dois casos).

Há ainda uma terceira alternativa, que é assumir sua bagagem e aliviar o peso você mesmo, esvaziando essa mala.

Mas afinal, o que tirar?

Você começa pondo tudo para fora, para observar o que tem dentro. É sempre assim, imagine quando você arruma a sua mochila: você derrama tudo sobre a mesa, e começa a arrumar.
Então veja o que tem nela. Amor, amizade, uma porção de lembranças... caramba! Até que tem bastante, mas para algumas pessoas pode ser que tenha pouco. Tome nota, talvez isso esteja lhe faltando. Afinal de contas, amor, amizade e boas recordações são coisas muito leves.

Então, no meio da bagunça, você percebe que tem algo bem pesado. Você faz uma força danada para tirar: era a raiva. Ôloco, como ela pesa! Nesse momento, percebe que tem mais coisas junto dela, como as mágoas, ressentimentos e a tristeza - parece que todas estão entremeadas entre si, grudadas por um chicletão de rancor.

Naquele instante, o desânimo quase te puxa para dentro da mala. Afinal, à medida que vai retirando tudo isso, você volta a seus pesadelos e recordações, decepções, fracassos e frustrações. Mas hei, calma lá!

Você puxa o trambolhão para fora com toda a força, e no fundo da mala aparece um sorriso de criança, que estava sufocado lá embaixo de sua bagagem. São as melhores recordações de sua vida, daquela criança serelepe que você foi. Ele traz junto de si a inocência e a ternura daqueles tempos sem obrigações e preocupações, e pula para fora com a paz e a harmonia perdidas.

Agora mete a mão lá traveiz: você vai ter de procurar a paciência, pois vai precisar muito dela na vida. Procure também a força, a esperança, a coragem, a fé, a motivação, o equilíbrio, a responsabilidade, a disciplina, a tolerância e o bom e velho humor. Esta tudo lá, basta você olhar com atenção. Ah! Tire a preocupação também. Deixe-a de lado por enquanto. Depois você vai entender o que fazer com ela.

Bem, agora sua bagagem está pronta para ser arrumada de novo. Pense bem no que vai colocar lá dentro desta vez, hein?!





9 de jan de 2008

2008 = Vai Planeta!!!!!



A busca desesperada pelas últimas gotas de petróleo;
O Ártico sem gelo até 2030;
A Terra 8ºC mais quente em 80 anos;
As fontes de água potável secando;
Queimadas levando um sem número de espécies de animais à extinção;
Caça desenfreada acabando com a raça de outros milhares de animais marinhos;
A Amazônia devastada a uma 'velocidade' de 8 campos de futebol por minuto.

A natureza grita: a destruição do planeta é questão de tempo, e a julgar pela velocidade com que gastamos seus recursos, as provisões não serão suficientes sequer para três gerações.

SIM, PREFERI me abster de comentários a respeito de 2007. A meu ver, foi um ano com poucos motivos para comemorar, e muitos estragos deixados para resolvermos neste e nos próximos. E não, não acho que exagero ao dizer que se não passarmos da indiferença à conscientização e ação, estaremos dando nossa parcela de pólvora para uma inevitável guerra pelos recursos naturais que perdurarem na próxima geração.

Não se deixe ludibriar pelos que dizem que basta reciclar o lixo e maneirar no banho e pronto, nossa parte tá feita; dessa vez, o buraco é realmente mais embaixo. O oportuno filme-denúncia Uma verdade inconveniente, de 2006, mostra apenas a ponta do iceberg da 'avalanche ambiental que pode eliminar 6 bilhões de pessoas da face da Terra'.

A perturbadora afirmação acima é de James Lovelock, uma das maiores autoridades da Ciência do último século. De acordo com o respeitado cientista - que afirma que em 30 anos o Saara vai invadir a Europa e Berlim será mais quente que Bagdá -, a Terra está reagindo aos maus tratos dos seres humanos, e, enquanto despejamos toneladas e mais toneladas de fumaça e lixo nela, um cenário trágico se desenha:

"O aumento da temperatura significa mais gelo derretendo nos pólos, o que implica em mais água e terra. Isso faz aumentar ainda mais o calor, fazendo com que mais gelo derreta. O nível do mar sobe; o calor faz com que a chuva seja mais forte em alguns lugares, e as secas mais intensas em outros. As grandes florestas (tropicais amazônicas e boreais do norte) passarão por um estirão de crescimento, depois murcharão, até desaparecer. O solo congelado das latitudes do norte derrete, liberando metano, um gás que contribui para o efeito estufa e que é 20 vezes mais potente que o CO2..."

Os seguidos furacões e maremotos na América do Norte e na Oceania e os pequenos tremores detectados no Brasil no final do último ano são um forte indício de que Lovelock - apesar de ter nome e jeitão de professor de Hogwarts - é mais realista do que outras autoridades ambientais mais céticas supõem, e de que já passou da hora de cuidarmos melhor de nossa casa redonda e azul.



A melhor forma de começar, além de buscar informações para entender a fundo a gravidade do problema e abraçar a causa de ONGs ambientais sérias, é fazer a sua parte no dia-a-dia. Aí vão alguns 'toques sustentáveis' adaptados da revista Super Interessante de dez/07:

1. Assista ao documentário Uma verdade inconveniente* (você encontra em qualquer locadora). Não é porque é produzido na terra dos gângsters da poluição que ele não é feito por gente engajada. Útil e essencial para dar o start em sua nova versão ecológica;

2. Tome água da torneira. Praticamente todas as cidades que têm saneamento básico possuem água potável em suas torneiras; seu consumo é liberado por autoridades entendidas no assunto. Gastar com águas minerais gera desperdício de água e lixo a mais no planeta (as pets levam 110 anos para se degradar).

3. Tampe a panela. Uma simples panela de água para macarrão que ferve sem tampa, deixa 20 gramas do líquido evaporarem, o que consome 1 grama a mais de gás por minuto. Se todos os fogões do Brasil fizerem a mesma coisa, serão 54,6 toneladas de gás desperdiçados por minuto de aquecimento, o que totaliza 4.200 botijões.

4. Tome seu banho de manhã. Em tempos de escassez de água, nada melhor que desafogar os horários de pico (18h às 20h), que detonam as usinas e podem gerar apagões. Para se ter uma idéia, se todo país resolvesse tomar banho às 19h30, precisaríamos do dobro de usinas para não rolar um apagão geral.

5. Prefira latas a vidros e plásticos. O Brasil recicla hoje 96% de suas latas, contra 45% do vidro e 47% das garrafas pet.

6. Use móveis de madeira. Metade do peso da madeira é de átomos de carbono, os grandes causadores do efeito estufa. Pode parecer estranho incentivar árvores em sua casa, mas há uma boa variedade de móveis com a certificação do Conselho Brasileiro de Manejo Florestal, que garante uma derrubada planejada e seu posterior reflorestamento.

7. Pague todas as contas que puder online. Segundo o estudo de uma consultoria americana, 2,3 milhões de toneladas de madeira (16 milhões de árvores) seriam poupadas todo ano se as operações bancárias fossem feitas de forma virtual. A produção desse papel polui o equivalente ao estrago que fazem 355 mil carros.

8. Reaproveite a água da lava-roupas. A água do 2º ciclo em diante é ótima para regar as plantas, por exemplo. Seu pH é tolerável por quase todos os vegetais.

9. Prefira alimentos produzidos na sua região. Quando vêm de longe, além de não precisarem serem colhidos verdes, seu transporte - feito sob lonas numa temperatura de 42ºC -estraga boa parte das frutas e legumes. Isso sem falar no aumento do aquecimento global, fruto do gás carbônico emitido pelos caminhões.

10. Pinte suas paredes de branco. Optando pela (ausência de) cor, sua casa fica até 5ºC mais 'fresquinha', evitando o gastão do ar-condicionado; além disso, o branco reflete a luz solar e contribui para evitar o aquecimento do planeta.

*esse toque é by Vickye mesmo.

Bom, como diria o grande Capitão Planeta...
Agora O Poder é de vocês!

UM CHEIRO,


8 de jan de 2008

2007 = Adeus ao armário


TÁ, VAI, JÁ FAZ TEMPO que eles e elas abriram as portas do armário e deram de cara com o gelado reino de Nárnia. Respiraram fundo, se encheram de coragem e assumiram em público sua preferência sexual, contra tudo e contra todos. O resultado foi infinitamente melhor que a encomenda: os homossexuais assumiram cargos importantes na política, nas grandes corporações, na comunicação, nas telas e nos palcos. Seus alegres e festivos eventos, como a famosa Parada do Orgulho Gay, reúnem milhões de simpatizantes; seus redutos noturnos são amplamente frequentados pelo povo hetero e seu talento (principalmente) no meio artístico é inegável.

Digo tudo isso não apenas para levantar a bola GLS, mas para constatar que nunca o sentimento pró-homossexuais foi tão latente como no ano que acaba de terminar. Além de suas elogiadas casas noturnas e do apurado gosto musical e estético, os gays, com seu jeito cor-de-rosa de enxergar a realidade, ganharam recentemente grande espaço na mídia, assumindo o comando de programas de TV, a direção de peças de teatro e grandes musicais e até a posição de mestres de cerimônia de eventos tradicionais, como o Oscar.

Se até há poucos anos havia a necessidade de extravasar seu sentimento reprimido através de válvulas de escape como a música (Freddie Mercury, Boy George, Ney Matogrosso, Elton John), hoje a coisa está muito mais 'viável'. E para chegar a essa conclusão não é preciso ler entrevistas da Ana Carolina ou abrir uma Contigo, Caras e seus filhotes virtuais. Basta olhar numa sala de aula de colégio ou faculdade para se dar conta do impressionante contingente de homossexuais integrados, livres e convictos de sua escolha. Além de viverem mais aliviados pela crescente aceitação da turma, eles e elas enfim têm a chance de concentrarem seus esforços nos seus sonhos e objetivos, dando um definitivo adeus ao cheiro de mofo do velho armário.

"O sucesso, a liberdade e o amor são para todos, ainda que gostem de comer danoninho com catchup".

GRAAAAAAAANDE ANO PARA TODOS!!!


1 de jan de 2008

2007 = tinha que ser o Chávez!


BEM QUE EU queria dizer que 2007 foi o ano do Lula, do Brasil, do Mercosul. Mas não teve jeito: o danado do venezuelano mais uma vez entrou na frente das câmeras e roubou a cena. Até acho positivo seu descaso e desdém com a Casa Branca, afinal de contas alguém precisa falar para tio George que ele é grande, mas não é três. Mas, como de costume, Chávez foi além dos acréscimos, perdeu o gol feitinho e saiu de cara feia, com a bola do jogo debaixo do braço.

No ano que acaba de passar, três momentos foram determinantes para esvaziar la pelota de Huguito: o movimento universitário (prontamente repelido) que foi às ruas de Caracas para protestar contra o absurdo fechamento do canal de televisão local; a vexatória derrota no plebiscito que visava turbinar ainda mais seus cojones, e o sonoro - e já lendário - 'Por que no te callas', que ouviu do rei espanhol Juan Carlos na 17ª Cúpula Ibero-americana de chefes de Estado, e que você revê logo abaixo.



Pois é, Madruga, bem que você dizia (depois de jogar o surrado chapeuzinho azul no chão e começar a pisoteá-lo como um chimpanzé): TINHA QUE SER O CHÁVEZ!



Related Posts with Thumbnails