27 de jan de 2009

EM CARTAZ: Se eu fosse você 2

O QUE FAZ UM filme valer a pena? Elenco estrelado, efeitos especiais, um puta roteiro? Diretor tarimbado, fotografia cabulosa, edição inteligente e sagaz? Ou simplesmente um ator e uma atriz no auge de sua forma, completamente à vontade para fazer das suas e levar o público às lágrimas - de tanto rir?

Pergunte, pela 2ª vez consecutiva, à Glória Ramos e Tony Pires.


SE EU FOSSE VOCÊ 2 (2009)
Comédia, 95 min.


Site Oficial: clique aqui!
Roteiro: Adriana Falcão, Renê Belmonte e Euclydes Marinho
Direção: Daniel Filho
Com: Tony Ramos, Glória Pires, Cássio Gabus Mendes, Marcus Paulo, Maria Luisa Mendonça, Isabelle Drummond, Chico Anysio e Viviane Pasmanter

Resuminho: Cláudio (Tony) e Helena (Glória) estão prestes a se separar, o que faz com que ele passe a morar na casa de Nelsinho (Gabus Mendes). Porém, após a primeira reunião do divórcio, enquanto discutem, o casal troca de corpos mais uma vez e vê o filme de anos atrás se repetir. Dessa vez, para piorar, sua filha adolescente Bia (Isabelle) está grávida, e não sabe como contar a surpresa aos pais.

♠ Bastidores:
*Esse é o 4º filme em que o diretor Daniel Filho e a atriz Glória Pires trabalharam juntos. Os anteriores foram A Partilha (2001), Se Eu Fosse Você (2006) e Primo Basílio (2007);
*A personagem Bia no filme original foi interpretada por Lara Rodrigues, a Narizinho do Sítio do Pica-pau Amarelo. Neste, quem assumiu o papel é Isabelle Drummond, a Emília do Sítio;
*O jogador Sávio, ex-Flamengo, serviu como consultor de futebol para o elenco.

Por que assitir: Ao contrário do que ocorre com as novelas, de personagens que vão se modelando ao sabor da audiência, no cinema - assim como no teatro - os artistas têm a oportunidade de representar sem as amarras do Ibope. À vontade como pelicanos ao mar, Tony Ramos e Glória Pires se saem tão bem, mas tão bem, que foram chamados para voltar às telonas desempenhando o mesmíssimo papel de dois anos atrás.

Leve, despretensioso e com uma boa mescla de piadas espertas e de salão, o filme conta ainda com participações efetivas dos ótimos Cassio Gabus Mendes e Viviane Pasmanter, além de um Chico Anysio surpreendentemente contido e bem-vindo.

Se eu fosse você, iria para o cinema mais próximo enquanto o filme ainda está por lá!


Avaliação: @@@@ FILMAÇO!

Trailer:




♠ Informações retiradas do site Adoro Cinema







25 de jan de 2009

EM CARTAZ: A Bela Junie

FILME DA RENOMADA escola francesa, com diretor badalado, galã local do momento, uma bela e promissora atriz no papel central e um trailer deveras empolgante. Filmaço à vista, certo?

Errado.


A BELA JUNIE ('La Belle Personne' - França, 2008)
Drama, 90 minutos.

Site Oficial: clique aqui!
Roteiro: Gilles Taurand e Christophe Honoré, baseado em livro de Madame de La Fayette
Direção: Christophe Honoré
Com: Louis Garrel, Léa Seydoux, Grégoire Leprince-Ringuet, Esteban Carvajal-Alegria e Simon Truxillo

Resuminho: A belíssima Junie (Seydoux) é uma garota de 16 anos que mudou para a casa da tia após a morte de sua mãe. Ela passa a estudar na mesma turma que seu primo Matthias (Carvajal-Alegria), que a introduz aos demais colegas. Não demora para todos os garotos (héteros) caírem de 4 por Junie, mas ela acaba escolhendo o mais tímido de todos, Otto (Leprince-Ringuet). Isso até ela descobrir que na verdade ama mesmo Nemours (Garrel), professor de italiano e papa-aluninhas apaixonadas.

♠ Bastidores: Este é o 4º filme em que o diretor Christophe Honoré e o ator Louis Garrel trabalham juntos. Os anteriores foram Ma Mére (2004), Em Paris (2006) e Canções de Amor (2007).

Por que assistir: Nesse caso, o certo deveria ser por que não assistir. Mais parado que ônibus em dia de chuva (passagens lentas são típicas dos filmes franceses) e repleto de clichês, a nova empreitada do até competente diretor Honoré esbarra na frivolidade da história e falta de carisma de Léa Seydoux - que pode até ser bela, mas faz mais cara de bunda que as heroínas protagonizadas por Debby Secco e Aninha Arósio.

Resta então 'apreciar' a beleza pra lá de duvidosa de Louis Garrel, que cá pra nós: tá mais pra Edward Mãos de Tesourrá que pra galã mais quente da terra do biquinho. Esperava mais de você, viu Honoré? Tsc, tsc.


Avaliação: @ NÃO VALE O INGRESSO.


Trailer:




♠ Informações retiradas do site Adoro Cinema

*Avaliação:

@@@@@ = IMPERDÍVEL!!!!!

@@@@ = FILMAÇO!

@@@ = LEGALZINHO...

@@ = PRA PASSAR O TEMPO

@ = NÃO VALE O INGRESSO.




21 de jan de 2009

Obá e Kakama, Obama e Kaká

EM MENOS DE 24 HORAS, o mundo presenciou dois fatos que, aninhados em seu contexto, são deveras significativos: a festejadíssima posse do bruddah Barack na presidência dos EUA e o 'fico' de Kaká, que recusou proposta de ah-ãhn... MEIO BILHÃO de reais para permanecer em Milão, desfilando seu portentoso futebol no gramado do San Ciro.

Olhando assim de soslaio, os dois acontecimentos não têm lá muita conexão. Afinal de contas, Obamão tomaria posse com Kaká jogando até no Piraporinha, e Kaká faria sua opção mesmo com mais uma temporada de Georginho na batuta (toc-toc-toc!).

Acontece que, em dias 'atípicos', onde dois senhores de idade, casados, flácidos, e em plenas faculdades mentais topam entrar para a 'casa mais vigiada do Brasil', momentos como o protesto da torcida milanesa pela permanência de seu craque e a condecoração do cavaleiro negro se cobrem de uma solenidade quase messiânica.

Mermão.... Você tem idéia do que é, para um país que sempre segregou os negros, engolir os preconceitos e se emocionar na posse de Barack HUSSEIN Obama? E que tal abrir mão de uma caixa-forte colossal com 400 milhões de moedas de 1 real para permanecer no time que se identifica?

Posso até ver neguinho torcendo o nariz, arqueando as sobranceias e ensaiando o bocejo, ao lembrar que Pitta já foi prefeito de São Paulo e muitos jogadores já disseram não aos petrodólares para permanecer junto dos amigos e bem vigiado na Casa de Vidro da bola. Hoje, pra surpreender, precisa mais que um batonzinho e uma sainha esvoaçante. Pô, se até MU-LHE-RES são presidentes...

Pois não foi o que se viu nas ruas do Quênia, onde milhares de pessoas se amontoaram para assistir, em telões gigantescos, a posse de seu irmão mais pródigo. Ou nas alamedas de Milão, onde dezenas de torcedores do time rubro-negro, munidos de cartazes, cornetas e sinalizadores, se postaram na frente da casa do ex-são-paulino para protestar contra a partida daquele que se tornou o ídolo de seus filhos e um patrimônio do clube.

No frigir dos ovos estalados pelos flashes do planeta, tanto quenianos esquálidos quanto italianos rosados tiveram motivos para erguer os braços e comemorar. Obama, como de costume descontraído e impecável, seguiu o script direitinho: transmitiu sua mensagem de paz e esperança e assumiu o cajado à prova de balas. Kaká, por sua vez, saiu à janela com uma camisa do Milan em mãos, bateu no peito e pôs fim ao sentimento de noiva traída dos torcedores, dizendo ao povo que fica.

Uma salva de palmas sinceras para a personalidade do ítalo-brasileiro, uma rajada de balas recicladas para a façanha do afro-americano e uma luz no fim do túnel para todos os desiludidos que ainda acreditam que a vida é feita de cartas marcadas.





19 de jan de 2009

I9 Songs!

DE VOLTA AO PLANETA dos macacos, debuto no ano com a trilha sonora que fez minha cartola em 2008 - e que deve puxar a ciranda dos Top Parade enquanto a rapaziada aproveita as férias para caprichar no fermento dos novos quitutes que vêm por aí.

E já que o 9 é o hit astral do momento, 9 canções para você embalar o ano que promete ser o início de uma era menos Winehouse e mais Spears:

01) Coldplay - Viva la Vida
Pra ser bem sincero, sempre achei o Coldplay soooo boring... Repetitivos, chorões e superestimados, nunca fizeram por merecer tanto auê em torno de seus trabalhos. Isso até ouvir, em pleno badalar de sinos de natal, Viva la Vida no último volume. Grudenta no melhor sentido do chiclete, a música soa como um hino para todos que um dia sonharam em voar para aquele lugar onde vivem Pan, Sininho e Gancho. Com direito a tchu-tchu das sereias pervertidas, é lógico.

02) The Killers - Human
Manja História sem fim, aquele filme que o moleque voa em cima do cachorro-dragão e salva Fantasia de ser destruída pelo Nada? Pois bem: o pretensioso-é-pouco hit do Killers tem o dom de colocar qualquer humano que sinta frio na barriga ao subir numa roda gigante na garupa do velho Falcor, para olhar o mundo através das nuvens. De lá, livre de esteriótipos, crenças e convenções, você mesmo responde: are we human or are we dancer?

03) Julieta Venegas - Sueños
A mexicana Julieta Venegas é a mais grata surpresa da música latina dos últimos anos. Desde que Shakira calçou os pés descalços com a botinha de vagaba da trash music americana, os palcos não viam tanta energia e vibração com sotaque amenudado. Seu CD acústico inteiro é de primeiríssimo nível, mas já que aqui só cabe uma, vou de Sueños, que na parceria com Diego Torres faz lembrar a anfetaminada Mienteme. Me concede essa dança?

04) Jason Mraz - You and I both
No ano em que o mundo cantou em coral a melosíssima I'm yours (que até trilha de novela das 8 virou), o menino prodígio havaiano lançou um combo com canções leves, alegres e com aquela pegada que tanto agrada almas inquietas e apaixonadas. You and I both, - que nem de 2008 é - além de valorizar a voz doce de Mraz tem um refrão que não vai deixar você esquecer daquele(a) sacana que fazia a revoada de borboletas inundar seu estômago.

05) Lil Wayne - I'm me
Rap americano com o protesto, a fúria e a pegada que fazem qualquer Pacato virar Gato Guerreiro. Batendo no peito e colocando o dedo na cara de todos os FDP e vagabundas que um dia o subestimaram, o novo Tupac das quebradas bronxianas dispara rimas primorosas como Mel Gibson flew letal weapon/book 'em Danny/I'm a monster/I tell you, monster Wayne. Auto-estima baixa? Call Lil boy, e passará a ter pena de quem cruzar o seu caminho.

06) John Mayer - Say
É difícil não se render ao violão adocicado do ballad maker da caipira e charmosa Bridgeport. Festejado pelas mulheres dos quatro cantos do globo - inclusive Jenny Aniston, ex-Pitt boy e sua nova namoradinha - e subestimado pela crítica metidabês que só vê graça em cantores e bandinhas que fazem músicas sem sentimento e refrão, Mayer foi o nome do cenário pop-desplugado de 2008. Say, trilha sonora do ótimo 'Antes de Partir', é uma excelente pedida para viagens, incursões freudianas e momentos offline.

07) Stereolab - Daisy Click Clack
Meio anos 50, meio anos 3 mil. Meio Mary Poppins, meio Elvira, a Rainha das trevas. Meio laçarotes e vestidos de bolinhas, meio cinta-liga, chicote e máscara da Tiazinha. Para resumir a história - nas palavras de um pequeno grande amigo - uma senhora música de puta em pleno dia das crianças.

08) The Script - The man who can't be moved
Ao dar o play nessa, certamente sentirá que já ouviu mais gorda em algum lugar. Músicas dedicadas na calada da noite, filmes onde o cara vê a safada com outro e percebe a burrada que fizera, o reencontro do par central das séries teenagers, saudades de alguém que insiste em vir à mente até no meio da porra do jogo de rugby. 1,2,3, bien acordado, isso non ecsiste, você está num Dejà Vu! Corra, quebre as correntes e lute contra o destino que belisca suas canelas. Enquanto é tempo.

09) Marcelo Camelo e Mallu Magalhães - Janta
O único made in Brasil do eneágono Bjotal vai para o momento Johnny & June protagonizado pelo mais inusitado casal do último ano. Na música-declaração que resume os paradoxos e percalços de um amor com farpas e sem fronteiras, Camelo e Mallu assumem que pode até ser passageira, mas a parceria promete fantasia, beijos de esquimó e frutos eternos.






18 de jan de 2009

EM CARTAZ: Marley e eu

FILMES COM CACHORROS, gatos, papagaios e outros mascotes costumam agradar apenas os pimpolhos e estúdios, que só precisam mudar a raça do bicho para ter o pretexto de fazer uma sequência tosca, vazia e desroteirizada. Quando os peludos dão pra falar então, aí é o Deus nos acuda.

Para a alegria geral da nação, não é o que acontece com a adaptação para as telonas do best-seller do admirável jornalista John Grogan, que transformou a relação com seu labrador na mais bela história de fidelidade e companheirismo contada nos últimos anos.


MARLEY E EU ('Marley & me', 2008)
Comédia, 120 minutos.

Direção: David Frankel
Roteiro: Scott Frank e Don Roos, baseado no livro de John Grogan
Com: Owen Wilson, Jeniffer Aniston e Alan Arkin

Sinopse: John (Wilson) e Jennifer Grogan (Aniston), recém-casados, decidem começar uma nova vida em West Palm Beach, na Flórida. Lá eles trabalham em jornais concorrentes, compram um imóvel e enfrentam os desafios de uma vida em casal. Indeciso sobre sua capacidade de ser um bom pai, John decide comprar um cachorro para a esposa. O que ele não imagina é que Marley, um amável filhotinho de labrador hiperativo, transformaria para sempre a vida do casal e sua carreira profissional.

Bastidores:
*Foram utilizados nada menos que 22 cães para interpretar Marley, sendo 11 deles filhotes;
*Consta que, nos bastidores das gravações, Owen Wilson e Jenny Aniston tiveram um affair dos mais acalorados.

Por que assistir: O histórico recente de adaptações de obras literárias para o cinema não é dos melhores - vide os insossos Pijama Listrado e Crepúsculo. Não é o caso de Marley & eu. Graças à ótima química entre Owen (ótimo no papel do jornalista eternamente insatisfeito e pai coruja) e Aniston (que costuma ter dificuldade de desvincular sua imagem da friend Rachel), o filme decola já nas primeiras tomadas.

Mas a pipoca vale mesmo por Marley, que rouba a cena das formas mais inusitadas possíveis: engolindo o colar de ouro de presente de casamento, derrubando a adestradora sargenta, comendo o assoalho e as paredes da casa, fazendo caca no mar, onde a desatenção do dono dá até multa.

Em tempo: se for conhecer o xará de Bob no cinema, prepare o lenço - os minutos finais derretem o coração de qualquer cidadão que algum dia jogou o graveto para um vira-latas buscar.

Avaliação: @@@@ FILMAÇO!!!

Trailer:






14 de jan de 2009

Por uma vida mais devassa

OLHA... ACHO MUITO legal todo esse papo de levar uma vida mais sincera, ativa e com propósitos solidários e construtivos. Papo sério! Admiro demais as pessoas que se levantam da cama animadas, cheias de coragem e prontas para domar na unha o leão do dia.

Entrar no espírito das datas comemorativas, então, definitivamente não é pra qualquer um. Eu bem que queria ficar empolgadaço com o "Ano Novo", felizardo no Natal, romanticão no Dia dos Namorados e cheio de graça no Carnaval. Mas acontece que simplesmente não rola.

Na escola, enquanto todos cantavam a música do coelhinho, eu só queria saber onde raios estava escondido o meu ovo. Bah, que mané vermelho, azul e amarelo também! Esperar até MEIA-NOITE pra comer o peru? E aqui entre nós: pular ondinha uma pinóia!

É por essas e outras que encaro o Novo Ano como uma bela oportunidade para prorrogar o contrato com o galanteio esportivo, as colas na manga e a piscadela marota. Num mundo onde quem dá as cartas conhece cada orelha do baralho marcado, nada mais natural que sentar na mesa do truco pedindo 6 e batendo na mesa (mesmo sem ter sequer um valetinho na mão).

Maaaaaaas, já que a idéia é ter 'objetivos condizentes com seu jeito de ser', resolvi montar uma pequena listinha com meus novos valores pra esse ano que tá mais com cara de encaixe que de 'agora vai':


1. Transparência. Falar para todas as pessoas que exalam cheiros desagradáveis de seu problema crônico que só faz atrasar a harmonia da humanidade;

2. Compreensão. Não tirar o telefone da orelha quando a mamãe fica dando pití;

3. Compaixão. Parar de assustar meu irmãozinho à noite, fazendo barulho de fantasma e invocando espíritos do além;

4. Honestidade. Passar de ano sem recuperação, sem colar e sem super-atestados de pneumonia contagiosa;

5. Integridade. Parar de dar parabéns pelo orkut, roubar no Stop e fazer piadinhas maldosas com os freaks só porque eles dão risada com cara de choro;

6. Coragem. Mesmo numa manhã fria e chuvosa, quando o alarme tocar levantar da cama, tomar café, me trocar e sair a tempo de chegar na lendária 1ª aula;

7. Fé. Orar sempre pela saúde e bem-estar da minha família e amigos, e não apenas quando tô lascado por nota, por pendengas financeiras ou por acúmulo de affairs;

8. Respeito. Quando for ao cinema, evitar infantilidades como fingir que o microfoninho das bilheteiras tá com ruído, brincar de montanha-russa na cadeira e tacar pipoca na cabeça das pessoas na diagonal;

9. Sinceridade. Parar de falar pras gordinhas que elas são meigas, dóceis e 'até que bonitas de rosto';

10. Companheirismo. Ler de verdade os posts dos meus colegas aqui do blog, e não só passar o olho e fazer um comentário pra me mostrar inteirado.


Sim, de fato: um pequeno passo para um homem. Mas um GRANDE salto para uma sociedade que abafa seus peidos oprimidos e clama por elogios sinceros, chamegos intensos e palavrões carinhosos. E de boca cheia, faiz favô.






12 de jan de 2009

Por uma vida menos ordinária

QUERIDOS, ANTES DE mais nada quero me desculpar em nome de toda a pentelhada a demora master para estrear o blog em 2009. Acontece que, por uma coincidência danada, estivemos todos longe de casa e da civilização.

Jo-jo foi passar o ano-novo na China, com a família do Poo. Vince e Tony resolveram de última hora fazer um mochilão para o Beto Carreiro World. Holly ganhou uma viagem com direito a um acompanhante para conhecer Bollywood, na Índia - Brandon foi seu escolhido. Carlton ainda está na fazenda, completamente in love com o pônei novo que ganhou (lógico que ele vai falar que é um baita cavalão). E os Jones, só pra variar, estão na colônia de férias Pimpolho Feliz.

Quanto a mim, bem... Só dei mesmo um pulinho na praia, fiz o ritual lentilhas-uvas-ondinhas-calcinha-cor-de-rosa, assisti enfastiada ao super show da virada e me pus a refletir sobre aquela enfadonha listinha de metas do ano.

Depois de passar a limpo umas 20 vezes (e riscar mais da metade dos ítens), cheguei à conclusão que importante mesmo é ter objetivos condizentes com o seu jeito de ser, e não com o que os outros querem/esperam de você. Tipo um Saint-Exupéry do avesso, saca?

Ela ficou mais ou menos assim, ó:

1. Aproveitar o pouco tempo que fico com a minha família;
2. Ver o sol nascer do mar;
3. Ser sempre a última a soltar os abraços;
4. Ler ao menos 1 livro/mês;
5. Passar a reciclar o lixo aqui de casa;
6. Divulgar o trabalho de instituições sociais responsáveis (e fazer parte de uma);
7. Perder menos tempo com blogs, MSN, orkut e outras baboseiras da internet;
8. Passear mais com meus cachorros e meu irmãozinho;
9. Ignorar os meninos idiotas que só querem saber daquilo;
10. Não ser tão mala com os nerds e gordinhos só porque eles são... nerds e gordinhos.


Simplão né? Parece até bobo, mas tenho certeza que com essas coisas pequenininhas vou ficar muito mais leve e preparada para atitudes maiores, como por exemplo me candidatar à presidência do grêmio da escola e me declarar para meu amor ultra-mega-blaster-top-secret.

E você, vai se esconder debaixo da cama ou aproveitar os novos ventos e deixar os desejos repreendidos e calafrios tenebrosos entrarem pela janela?


Hummmm... era o que imaginava ;)





Related Posts with Thumbnails