31 de mai de 2010

Acho isso uma falta de sacanagem.


VOCÊ PODE AINDA NÃO TER ouvido falar no Happy Rock, mas certamente já viu em alguma revista, site ou tela de Youtube alguns de seus coloridos representantes. São aquelas bandinhas formadas por (pré)adolescentes babacas cheios de atitude, com o penteado do Magaiver, voz de dublagem de Anime e um repertório marcado por falsetes e gritinhos rebeldes.

Sim, são eles a piscina de bolinhas da vez do cenário musical nacional, milimetricamente controlado pelos midas da música e suas gravadoras e distribuidoras. Pergunte a qualquer menina que tenha mais de 8 e menos de 18 quais são suas bandas prediletas. 9 entre 10 vão responder, com aquele jeeeito de falaaar meio fââânho e um sorrisinho tímido: Cine e/ou Restart. A que sobrou ou vai nos genéricos Replace ou Rezet (juro que não é zoeira), ou então é aquela gordinha metaleira que salva a classe.

     

Aí você pensa: como diabos fomos chegar a esse ponto?
Vou tentar explicar traçando uma linha do tempo involutiva da música pop nacional. Vem comigo!


O berço do Happy Rock está nas bandas teen dos anos 80, como Dominó e Polegar - estes, por sua vez, uma cópia nacional do eterno Menudo. Se a cada vez que escuta "aposto um beijo que você me quer" você quer arrancar os cabelos, culpe o Rafael Ilha, Conrado, Ricky e cia.

Depois dos rebolativos pioneiros, vieram tentativas mal-sucedidas no mainstream como Twister e KLB, caça-níqueis descarados e cópias baratas dos gringos Backstreet Boys, N'SYNC e Five. Foram eles os grandes responsáveis pela voz abafada e refrões com taxa de glicose proibitiva para diabéticos.

Na sequência vieram bandas que buscaram colocar uma gota de atitude nesse oceano de lamúrias. Mesmo que sejam alunos da escola emo, CPM 22, NX Zero e Fresno - versões nacionais de Blink182, My Chemical Romance e Simple Plan - ao menos passaram a usar amplificadores e deixaram as dancinhas de lado. Aqui entre nós, uma grande conquista.


Com a onda gay/nerd/geek/weirdo que invadiu o planeta nos últimos anos (alô, Jonas Brothers!), tivemos uma transformação no chassi das bandinhas adolescentes. Atenção para a alteração: saem os cabelos espetados,  maquiagem nos olhos, razões e emoções e entram as roupas coloridas, a postura pseudo-introspectiva e as letras alto-astral, que invariavelmente falam sobre aquele encontro no ____________ (shopping, clube, condomínio, whatever).

Tudo assim: sem muito nexo, propósito ou sentido. Assim como é sua legião de fãs, que ao se verem do lado de fora de um show choram e prometem tomar uma atitude drástica - pelo Twitter, claro.

  

Pois é pessoal, esse é o Happy Rock, a nova tendêêêência da música pop nacional.  Pode não ser lá uma Brastemp - mas pelo menos fazem o favor de deixar talentos-prodígio como Felipe Dylon e Mallu Magalhães lá no fundão da geladeira.

Dizae, molecada!

 






30 de mai de 2010

...and we'll keep on fighting till the end.


"...NÓS NÃO SOMOS CAMPEÕES em nada, mas disputamos diariamente uma vaga de emprego, uma vaga no coração de alguém, uma vaga no ranking dos profissionais bem-sucedidos, uma vaga no concurso público, uma vaga na faculdade... até mesmo uma vaga para estacionar. E muitas vezes nos comportamos covardemente diante da derrota iminente. Entregamos o jogo. Desistir é o nome do esporte.

Algumas pessoas acham humilhante correr atrás quando as chances de haver uma virada a seu favor são ínfimas. Entre perder com garra e perder sem gastar suor à toa, preferem a segunda opção, indo pra casa mais cedo, a tempo de assistir ao final da novela.

A vida dá uma canseira danada na gente. Não temos inimigos, mas são muitos os nossos adversários: o tempo, a idade, a concorrência, as regras rígidas e um juiz que nem sempre vai com a nossa cara. Não se pode ter tudo, não se pode vencer sempre, é o que nos dizem. Mas isso só deve servir de consolo depois que a partida termina. Enquanto estiver em andamento, pode-se até levar uma surra, mas fica proibido perder para si mesmo." 


(trecho da crônica "Match Point", da eterna Martinha Medeiros)




15 de mai de 2010

Aula de Matemática

Paulo Henrique Ganso > Ronaldinho Gaúcho > Alex > Andrezinho > Zidanilo > Tcheco > Marcelinho Carioca > Julio Baptista.


Neymar > Thiago Ribeiro > Dentinho > Muriqui > Borges >  Josué, Felipe Mello, Kleberson, Gilberto Silva, Ramires etc.

Kléber > Fred > Adriano > Borges > Ronaldo obeso > Fernandão > Washington > Túlio Maravilha > Dimba > Grafite. 


Mas-co-mo-eu-sou-tei-mo-so-eu-vou-le-var-es-ses-da-qui!



Sem mais,



12 de mai de 2010

Álbum de Figurinhas


ESTAVA EU CAMINHANDO PELA Paulista em busca do Big Mac perdido quando escuto uma voz empolgadíssima:

"Aaaaaaaah não acredito, tirei o Verón!!!"

Olho pra trás e me deparo com um sujeito de terno e gravata, 35-40 anos, maleta a tira-colo e um bolo de pacotes de figurinhas nas mãos. Como uma criança de 10 anos, ele sorri de orelha a orelha, todo pimpão por ter conseguido um cromo difícil. Ao seu lado, 3 colegas de trabalho o parabenizam com tapinhas nas costas, tão embasbacados quanto o amigo sortudo.

O responsável por esse momento, digamos... atípico, é o álbum de figurinhas da Copa do Mundo. Maior agregador social não alcoólico/alucinógeno/psicodélico do momento, ele vem fazendo a alegria das crianças de todas as idades, cores e classes sociais. E sexo também: ontem mesmo na banca da esquina, enquanto folheava a Playboy da Maroka (sen-sa-cio-nal), uma menina de uns 20 anos comprou 50 pacotinhos de uma tacada só. "São para o meu irmãozinho, tô ajudando ele!" Sei, sei.  

Assim como ela, milhares de moçoilas e marmanjos colocaram para fora a criança que normalmente aparece em outras ocasiões, como salões de cabeleireiro e jogos de futebol. Para você ter uma idéia do tamanho da bagunça, faculdades como a PUC/SP param completamente nos intervalos para os alunos fazerem o escambo. Redações de revistas e escritórios de advocacia anunciam nos murais as figurinhas que faltam para completar o álbum. Praças de cidades do interior/litoral viraram formigueiros aos domingos, que ganharam um novo passatempo além do bingo e da quermesse. Teve até quadrilha que roubou um caminhão de pacotinhos!

Colecionar figurinhas tem também alguns lances peculiares, que fui descobrir observando. Balançar o pacotinho pela ponta antes de abrir dá sorte, brilhante só troca por brilhante, figurinha da seleção vale 5 e os craques, quando saem do pacotinho, são celebrados como se fosse gol do Brasil. E dá-lhe tapinha nas costas!

Bem que poderia ter Copa todo ano. Para as pessoas se levarem menos a sério, interagirem com desconhecidos sem fazer juízo de valor e abrirem um baita sorrisão pelo simples fato de terem tirado o Verón.




5 de mai de 2010

Coisas que você só sabe quando fica desempregado


- Depois da roda, o sofá foi a melhor invenção do homem.

- Depois do sofá, a tevê foi a melhor invenção do homem.

- Depois da tevê, o laptop foi a melhor invenção do homem.

- Seu peso está diretamente relacionado ao tempo que você fica em casa.

- Pijamas, se não tirados após uma noite de sono, grudam no corpo.

- Serviços de telemarketing estão sempre ligando para estar oferecendo milhões de vantagens (hã-hãm) exclusivas - de hora em hora, cronometradamente.

- O porteiro e o zelador sabem muito mais de futebol que eu.

- Cebolas ainda me fazem chorar como uma criança.

- A carne do açougue é muito mais fresquinha e barata.

- A manga rosa custa 3x mais que a fiapenta (que assim como o nenê dos Rugrats, chama Tommy).

- Pastel de feira faz meu dia mais feliz.

- No fim de feira tem abacaxi por 1 real!

- O café feito em casa é bem melhor que o do serviço.

- A Diarista faz em 8 horas o que eu não faria em 80.

- A Sessão da Tarde não é mais como era antigamente.

- Malhação não é mais como era antigamente.

- A MTV não é mais como era antigamente.

- A tevê, apesar de ser TOP3 eurekas, não tem mais aquela magia de antigamente.

- Porra, cadê a Palmirinha?

- Os desenhos ficaram mais complexos (ou eu fiquei mais burro?)

- Existem pessoas que são capazes de dialogar com seu cachorro como se fosse um amigo íntimo, sem sequer te dar boa tarde.

- O cachorro é mesmo o melhor amigo do homem.

- Putz, como é bom ser cachorro!

- Depois do laptop, a máquina de lavar louças foi a melhor invenção do homem.

- Os domingos são bem mais legais do que parecem.

- Acordar cedo todo dia para correr no Ibirapuera é uma ilusão.

- Dormir cedo todo dia para ter uma vida mais saudável é uma ilusão.

- Achar que agora sim você vai espremer laranjas e descascar cenouras é uma ilusão.

- Seu currículo não é tão legal quanto você pensava.

- É mais fácil fazer nhoque artesanal do que responderem email com seu CV pleiteando uma vaga na empresa.

- Pra quê diabos tantos CDs e DVDs?
 
- Ficar 1 dia no sofá é bom, 5 é ótimo e 10 começa a bater o desespero.

- Ter tempo disponível não necessariamente significa utilizá-lo bem.

- A internet é a celebração infinita do ócio.




3 de mai de 2010

Dunga, acorda da Soneca, mostre que é Mestre e faça a gente Feliz!


A APENAS 9 DIAS DA CONVOCAÇÃO para a Copa do Mundo, 3 jogadores prometem abalar as convicções de Dunga, que ultimamente tá mais pra Soneca. O 1o é Ronaldinho Gaúcho, que após um longo hiato de 2 anos recuperou cerca de 50% de seu futebol, o que já é mais que suficiente para colocá-lo para jogar em qualquer uma das 32 seleções participantes do Mundial.

Os outros dois são as bolas da vez da imprensa paulista: Paulo Henrique Ganso e Neymar. Jovens, habilidosos, criativos, descolados, escolados, atrevidos. Lembram muito Diego e Robinho no começo de carreira, com um importantíssimo diferencial: são ainda melhores que a dupla que encantou o Brasil em 2002/2003.

Ganso reúne tudo que um camisa 10 necessita: é habilidoso, calmo, frio e com visão de jogo privilegiada. Arranca como o Kaká do Milan, dá passes de Alex Palestra, chuta à lá Rivaldo do Barça e tem a postura clássica do antológico Zizou, de tantas camisas e façanhas.

Aos 20 anos, acaba de ser o protagonista do título do Paulistão, dando um passe cinematográfico para o 2o gol de Neymar e prendendo a bola o 2o tempo inteiro, enervando o adversário que tinha 2 jogadores a mais em campo. Ao ver que seria substituído pelo técnico no final, teve atitude rara: fez que não com a mão, apontou o gramado e disse: "meu lugar é aqui, e daqui não saio nem a pau!". Tem como discordar?




Neymar é o que de mais próximo a Edson Arantes do Nascimento vi nessa vida. Rápido, arisco, cirúrgico, fantasista. 18 anos de idade e um futebol que 99,9999% dos craques de 30 nunca conseguirão atingir, porque a resposta está no DNA - do garoto e da grama da abençoada Vila Belmiro. Joga com a gola da camisa levantada - ele pode. Usa moicano tingido e alisado - ele pode. Comemora os gols com dancinhas provocantes - ele pode. Responde às caneladas dos zagueiros com rolinhos, chapéus e gols, muitos gols. Marcou este ano - salvo engano - 23 gols em 23 jogos, fora o baile. Foi às redes em todos os jogos decisivos, e em nenhum momento se escondeu, muito pelo contrário.

Neymar me lembra o Denílson do São Paulo, o Robinho da base do Santos, o saudoso Dener da Portuguesa. Mas lembra MESMO o garoto negro santista, franzino, de cabelo em pé que, aos 17 anos, foi para a Copa no último momento e deu o 1o Campeonato Mundial ao Brasil. Exagero?



Neymar e Ganso, Ganso e Neymar. Em qualquer outro país do mundo, já estariam com a passagem para a África garantida. Só mesmo um celeiro de craques dirigido por um treinador teimoso como o Brasil pode se dar ao luxo de cogitar não levá-los à Copa.

Bom, na minha seleção eles são titulares absolutos. E na sua, Dunga?



2 de mai de 2010

Tal pai, tal filha

ESTOU LONGE DE SER politizado, tucano e muito menos simpatizante do enfadonho José Serra. Mas que sua adversária direta pelas eleições presidenciais tem tudo para nos alegrar nos debates... ahhhh, isso tem!





1 de mai de 2010

Ah Cidinha, se eu fosse como tu...

PARA QUEM AINDA NÃO VIU, o vídeo antológico de Cidinha Campos desopilando o fígado e acabando com a algazarra do plenário. Se assim como eu você virar fã da deputada porreta, passa no twitter dela para dar os parabéns. Ela merece!



"A corrupção desse país está no DNA. Elas riem, elas brincam. Eu vejo todo mundo gargalhando neste plenário. Quanto mais ladrão, mais querido, mais simpático! (...) isso aqui não é uma casa de santos, mas também não pode se tranformar numa casa de canalhas consagrados. Canalhas, corruptos, vagabundos que todo mundo sabe que são, mas merecem o voto da outra canalhada toda."






Related Posts with Thumbnails