7 de mai de 2008

Profissão Perigo - Motorista de ônibus


SEGUNDONA BRABA, 7H30 da madruga, o sol começa a dar as caras na cidade. Muita gente ainda se espreguiça, outros tantos folheiam o jornal, conferem o horóscopo e botam o bule pra funcionar. Alguns ainda curtem os últimos momentos de edredon, mas a grande maioria já está lá, a postos, apertando os olhos para ler a plaquinha e abrir o primeiro sorriso da semana, ao se deparar com sua charrete coletiva.

À porta do carro, o chofer do povão - ainda com os olhos cheios de ramela e um odor que traz o melhor do café, das sudoríparas e da fumaça - responde as perguntas de praxe com paciência de professora de primário:


- PASSA NA SANTO AMARO?
- PASSA SIM, SENHORA.
- E NO CRUZAMENTO DA FARIA LIMA COM A JUSCELINO?
- PASSA LÁ TAMBÉM, PODE SUBIR.
- ESSE AQUI PASSA LÁ NO HOSPITAL DO SERVIDOR?
- SIM, SENHOR. O QUINTO PONTO JÁ É O SEU.
- Ô MOTÔ, ESSE PASSA PERTO DO IBIRA?
- OLHA, PASSA ONDE VOCÊ QUISER!


Ééééé garoto, vida de Motorista de Ônibus não é fácil. Acorda cedo, dorme tarde, tem que aguentar nego folgado que quer subir/descer fora do ponto e as tiazinhas que reclamam das curvas bruscas: 'esse motorista é um grosso!'. Fazem o mesmo trajeto todo santo dia, escutam xingamentos e o famoso 'desceeeeeeee' a cada 5 minutos, e quando finalmente engatam a quinta marcha vitoriosa, um braço levantado faz tudo voltar à estaca zero.

Ao contrário do cobrador, os motoristas não têm a oportunidade de prestar atenção nas conversas alheias, nas figuraças que passam e de admirar os batons, bustiês e decotes que sentam e levantam freneticamente. A comunicação com os passageiros se restringe às perguntas logísticas, ao bipe da cordinha puxada e à algumas onomatopéias soltas a esmo. Isso quando não senta um zé ruela no banquinho de passageiro e começa a falar do tempo, do trânsito, do futebol, de seu emprego, da patroa, da amante, do cachorro e de outros assuntos interessantíssimos, sempre respondidos com um 'poisé', 'aham' ou outro resmungo qualquer.

E o motorista de ônibus turísticos? Esses, muito mais desinibidos, descolados e pintosos, parecem ter feito curso superior para exercer o ofício. Estão sempre engomados, com o Raybanzão no rosto e um ar superior, como se fossem um comandante de avião:

"Ha-ham. Bom dia, tripulação. Aqui quem vos fala é o motorista Mathias. Faz um dia agradável lá fora, a previsão para a viagem é de muito sol. A estrada se encontra com alguns buracos e quebra-molas, mas nada que atrapalhe o seu conforto. À direita vocês podem ver a encosta da Serra da Mantiqueira, e à esquerda os veículos que viajam na direção oposta. Caso precisem fazer as necessidades, o banheiro fica ao fundo. Pedimos para deixarem o número 2 pra parada no Rodoserv, visto que a descarga está com um pequeno defeito. A Pau de Arara agradece a preferência, tenham todos uma boa viagem."

Há ainda os motoristas de ônibus escolar, outro sub-gênero curioso. Nele se encontra um grande contingente de ex-taxistas, gordinhos bonachões e mulheres, veja só. Assim como acontece com as professoras de primário, 'Rose', 'Marisa', 'Marta' e 'Cristina' são os nomes mais pedidos. Mas, no fim das contas, acabam virando a 'Tia do ônibus', 'Tia da perua' ou ainda 'perueira', o que não é lá muito cristão.

Para esse pessoal, a paciência precisa ser redobrada, já que a nhaca matinal parece não ter efeito algum sobre as crianças. Elas já acordam ligadas no 330, e costumam ver na 'perua' uma atração à parte. Tiram sarro de cada coleguinha que embarca, cantam aquelas musiquinhas intermináveis e adoram mexer com os infelizes que passam pela rua.

O pior é que, assim como os pizzaiolos, entregadores de jornal e ascensoristas de elevador, os motoristas de ônibus - que têm uma baita duma responsa - não vêem a cor da gorjeta. A tendinite, o mal-humor e a bunda quadrada são por conta da casa. Como diria o Esqueleto, 'são ossos do ofício'. Como resmungaria o Trévis, vendedor de cachorro quente e cobrador do circular aqui de Nova Piripirí, 'é osso!'.




5 comentários:

Kimera Kenaun disse...

ótimo texto...adoooro motorista de ônibus, sou amiga de todos, mas ñ pode dar mta trela não... os mais legais são aqueles q me veem tracando a porta de casa a 500 metros e me esperão do outro lado da avenida...hahaha...qm ñ gosta são os passageiros ;P
a próxima parte do conto já está no KK beijos!

Vince disse...

Ô MOTORISTAAAAAAA
DEIXA DE SER LERDO
TIRA O PÉ DO FREIO
VÊ SE FICA MAIS ESPERTOOOOOO =D

Nathália Rodrigues disse...

putaqpariu!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

só aqui mesmo na cidade mais linda é que temos esses motoristas tãããão legais.

apesar de poucas palavras com vc, Johnnnn que texto mano!

BJ disse...

Eu já não vou muito com a cara dos motoristas, sejam eles de busão, táxi ou lotação.

sivia disse...

sim gosto muito deles ele que me leva para o trabalhar e outra coisa assim como em toda profissao tem pessoas educada como mal educada educaçao vem de casa um bom dia uma boa tarde e uma boa noite nao custa nada e sim e uma formo de educaçao eu tenho um carinho emenso por ele se nao fosse ele com eu iria trabalhar ele estao de parabens por trabalha

Related Posts with Thumbnails