26 de fev de 2008

2008: Hollywood encontra o mundo


A CERIMÔNIA DO OSCAR, que chegou este ano à sua 80ª edição, foi certamente a mais sóbria dos últimos tempos - refletindo o momento de transição pelo qual passa a maior indústria cinematográfica do mundo. Os discursos inflamados, shows performáticos e vestidos purpurinados da alta costura deram lugar às declarações espontâneas dos vencedores, ao humor certeiro do mestre de cerimônias Jon Stewart e à consolidação da geração que dará as cartas na próxima década Hollywoodiana.

Ao contrário das últimas edições, dominadas pelos Blockbusters rapa-bilheteria (Senhor dos Anéis, Homem Aranha, Piratas do Caribe, King Kong), a premiação - mesmo as categorias técnicas - foi tomada por filmes 'convencionais' e muito menos maniqueístas que seus antecessores.

Bardem, com os irmãos Coen: os donos da noite

Conforme o esperado, a sensação da noite foi o thriller-western 'Onde os fracos não têm vez', escrito e dirigido pelos excêntricos irmãos Coen. A dupla levou para casa as estatuetas de Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Direção e Melhor Filme do ano. De quebra, o espanhol Javier Bardem faturou a de Melhor Ator Coadjuvante, por sua assombrosa atuação como o incansável assassino-psicopata da fita.

Se 'Sangue Negro' perdeu os principais prêmios da noite, ao menos viu seu protagonista levantar o careca de Melhor Ator. Daniel Day-Lewis, que na premiação estava mais para amigo de Jack Sparrow que pro sanguinolento Daniel Plainview, recebeu das mãos da rainha Helen Mirren o troféu (que, cá entre nós, já tinha seu nome cravado desde sua confecção).

Day-Lewis confirmou o favoritismo e levou seu segundo troféu


A grata surpresa da noite ficou por conta da presença da francesa Marion Cotillard no palco. Correndo por fora por sua (impressionante) interpretação de Edith Piaf, a bela atriz ficou surpresa e emocionadíssima ao receber a estatueta de Melhor Atriz das mãos de Forest Whitaker. Com o rosto entre as mãos, a jovem atriz não cabia em si de tanta excitação. Agradeceu a meio mundo, aos 'anjos de L.A'. e voltou saltitante para a terra dos irmãos Lumière.


Cotillard, emocionada: eternizando Piaf

E para quem pedia por um sopro de frescor, a contemplação veio logo com uma baforada na nuca: Brook Busey - vulgo Diablo Cody -, um mix de Cleópatra, Penélope Nova e Melindrosa, arrebatou o Oscar de Melhor Roteiro Original. Ex-striper e agora queridinha das produções 'alternativas' do circuito, a roteirista de 'Juno' desbancou profissionais mais experientes e tarimbados e levou o único prêmio do azarão da noite.


Diablo Cody manda beijinhos: único careca de 'Juno'


Day-Lewis, Bardem, Cotillard, Cody. Um inglês perfeccionista, um espanhol polivalente, uma francesa promissora e uma norte-americana despirocada. Em comum, além do inegável talento, eles trazem a idéia de um cinema universal, autêntico e focado naquilo que nenhum efeito especial substitui: as relações humanas.


* Lista cumpleta dos vencedores da noite:

Melhor Filme
'Onde os Fracos Não Têm Vez'

Melhor Diretor
Ethan e Joel Coen ('Onde os Fracos Não Têm Vez')

Melhor Ator
Daniel Day-Lewis ('Sangue Negro')

Melhor Atriz
Marion Cottilard ('Piaf - Um Hino ao Amor')

Melhor Ator Coadjuvante
Javier Bardem ('Onde os Fracos Não Têm Vez')

Melhor Atriz Coadjuvante
Tilda Swinton ('Conduta de Risco')

Melhor Filme Estrangeiro
'The Counterfeiters' (Áustria)

Melhor Figurino
'Elizabeth - A Era de Ouro'

Melhor Animação
'Ratatouille'

Melhor Maquiagem
'Piaf - Um Hino ao Amor'

Melhor Fotografia
Robert Elswit ('Sangue Negro')

Melhor Efeitos Especiais
'A Bússola de Ouro'

Melhor Direção de Arte
'Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet'

Melhor Roteiro Adaptado
Ethan e Joel Coen ('Onde os Fracos Não Têm Vez)'

Melhor Roteiro Original
Diablo Cody (Juno)

Melhor Edição de Som
'O Ultimato Bourne'

Melhor Mixagem de Som
'O Ultimato Bourne'

Melhor Montagem
'O Ultimato Bourne'

Melhor Canção
Falling Slowly ('Once')

Melhor Trilha Sonora
Dario Marianelli ('Desejo e Reparação')

Melhor Documentário em Longa-Metragem
'Taxi to the Dark Side'

Melhor Documentário em Curta-Metragem
'Freeheld'

Melhor Curta-Metragem
'Le Mozart des Pickpockets'

Melhor Animação em Curta-Metragem
'Pedro & O Lobo'



8 comentários:

Jo-jo disse...

Queria ver o 'careca' na mão do Johnny Depp!

Jo-jo disse...

Queria ver o 'careca' na mão do Johnny Depp!

MJ disse...

E 'Desejo e Reparação' que só ganhou uma estatueta?!?!? Mto injusto! O filme é lindo!!!

MJ disse...

Esqueci de comentar: Esse vestido da Marion é rídiculo... Podia ter comprado um mais bonito, né??? Tinham tantos tomara-que-caia ma-ra-vi-lho-sos...

moleng's gripado disse...

Holly, adorei o 'Onde os Fracos Não Têm Vez'. Assisti com o Fe por indicação sua e gostamos mto...
Aliás vc assistiiu Sombras de Goya e com o mesmo vilão. Muito bom tbm... mas já saiu das telonas...
Beijos

Vince disse...

And the Oscar goes to.......
Nuno Leal Maia!!!!!!

Sérgio Vieira disse...

Meu, desde qd o Stewart tem humor certeiro? Ele só acertou em duas ocasiões: com os bebês de Jolie e os irlandeses ignorantes, de resto, Stewart continua sendo o mediano humorista americano. Sinto falta dos tempo da Whoopi.

Nené disse...

Achei o termo q vc usou para traduzir Diablo Cody meio viagem...
Ela na verdade é a tradução perfeita da Fernanda Young, redatora dos 'Normais' e do Saia Justa. Procura foto dela no google pra vc ver!!

Related Posts with Thumbnails