5 de nov de 2009

Aponta pra fé e rema!

AO CONTRÁRIO DA MAIORIA dos Pentelhos aqui, eu sou a favor da auto-ajuda (póóóóparar com essa cara feia aí!). Na real, acho que o único problema dela é esse nome meio deprê, meio bengaludo, meio licença para dirigir: AU-TO-A-JU-DA. Tipo documentário, saca? Puta dum negócio legal, mas com esse nome dá um bode danado de assistir, parece até aquele camelo de uma bola só.

Alcunhas infelizes à parte, acho um tesão ler livros e assistir entrevistas, palestras e filmes com uma mensagem cativante e positiva. Daqueles que te tiram do monte de merda e te elevam ao olimpo da vitória. Alguém aí disse Rocky fuckin' Balboa? Yo Adrien, I did it!!!!!

Esses dias li numa entrevista que os livros, filmes e palestras motivacionais podem até botar seus hormônios na rave e fazer você pensar que vai salvar o mundo e depois beijar a Mary Jane na boca. Mãããs, assim como tudo que é bom, o ímpeto tem hora marcada para acabar. Na maioria dos casos depois de 2 dias, de míseras 48 horas, aquele clarão redentor que abriu no final do túnel vai diminuindo, diminuindo, até se tornar uma daquelas velinhas de aniversário que dependem da conchinha das mãos da criança insistente para sobreviver.

drama mode: on

E por que será que o efeito do elixir dura tão pouco? Por que, depois de 2 meros rounds, a inércia entra no ringue e nocauteia 99% das células do corpo, dando a sensação de que as mudanças reais só existem nos filmes e romances?? Por que diabos não consigo emagrecer/namorar/enriquecer/crescer/vencer meus malditos fantasmas?? Por que meu Deus, por quê???

drama mode: off

Gostaria muito de te dar uma resposta em uma frase de 8 palavras e me tornar um pensador dos tempos modernos, com aspas douradas e citações em correntes de emails, discursos inflamados e books de conclusão de curso. Mas não a tenho, ao menos não de bate-pronto como os grandes mestres da AA. Ainda assim, vou arriscar uma modinha sem pestana, para não me embaraiá todo:

Não há nada no mundo mais difícil que mudar. Se mudar de casa, de cabeleireiro, de escola, de lugar no sofá, de time já é um tormento, que dirá mudar de pensamentos, hábitos e convicções?

Mudar não é para quem quer, é para quem pode. Tipo fazer medicina ou partir para uma missão na África, saca? Tem que querer mais que cerveja nesse calor da porra ou chocolate em dia de TPM. Para mudar, é necessário engolir o orgulho a seco, cuspir o ódio e enterrar as lembranças que insistem em te puxar pra baixo.

Não basta ler e sublinhar as passagens mais importantes do livro, tem que praticar o que é proposto. Não basta ir na palestra do Mister Money e sentir que cada palavra foi feita pra você, é preciso se comprometer com os propósitos e questões levantadas e buscar o sucesso tantas vezes quanto o sol se põe. Não basta socar o ar depois que o gongo toca e o Rocky ganha a luta, tem que levantar cedo e correr com o cachorro e o moletom surrado, subindo cada degrau da escada com consciência e fé inabaláveis.

Porque aqui entre nós: se não for você o autor e o protagonista de sua própria história, quem será? O babaca que tá saindo com a mulher dos seus sonhos? A arrogante metida a besta que só é sua chefe porque joga o jogo sujo dos interesses? Hum... E que tal aquele pastel que reconheceu suas próprias limitações e defeitos, procurou ajuda, agiu com a obstinação dos maratonistas quenianos e hoje vence todas as batalhas que disputa com garra e serenidade?


Bem...

Como diria mestre Sinatra, it's up to you!
Como diria a linda deusa da vitória, just do it.
Como diria o incansável garanhão italiano, if I can change, you can change, and everybody can change!!!

Vá buscar o que é seu, filho; você já esperou demais.





*Se quiser me citar no seu TCC, fique à vontade.

9 comentários:

Vince disse...

Falei pra você parar de ler paulo Coelho!

Anônimo disse...

/\
||
Paulo Coelho, eca!!!
-
Todo mundo deseja mudar algum aspecto da vida, nem que seja uma coisinha de nada... Mas é mais difícil do que se pode imaginar.
Dá sim pra apontar pra fé, o problema é tirar os pés da terra firme e passar a remar...
A sombra do medo vem acompanhada com perguntas que não tem respostas. E daí, será que vale a pena arriscar sem saber se elas realmente existem?
É... Dúvida cruel, vida cruel, insônia cruel...
Levando em conta que quem 'não arrisca, não petisca', pensar na possibilidade de mudanças já é um bom começo pra quem não troca nem a marca do café... #me

-
Mais um post daqueeeles!

De tanto procurar me encontrar, tinha até esquecido de como é bom passar por aqui!!!

Dari.

Ana disse...

#O Segredo feelings.

*medo*

Laura Lane disse...

Querido,
Ao invés de apelar para o pré-pronto e pobre argumento da "inabalável fé", use seu talento de escriba para bem ler e estudar os clássicos da Filosofia.
Aristóteles, Platão, Sócrates, são a base, sem eles nada que se aprenda resulta em boa coisa e pensamento original. Daí que o apelo à auto- ajuda e seu consequente otimismo tolo acaba ganhando adeptos e se alastrando sem produzir conhecimento, senão apenas crenças e superstições.
Ah! antes que esqueça: a indigência do tema não se deve à denominação, mas ao próprio; não se engane, nem sofisme.
É isso.
dalva

Little Ingrid disse...

Adorei, sensacional!
Andou meio down?
Parece q já passou, né?
Inevitavelmente,
a bad trip foi reciclada e virou uma bela onda criativa!

Mil beijos

BJ disse...

Mudar é mais embaçado que ouvir sertanejo. Bom texto, lee!!

Stellinha disse...

Muito bom o texto, Lee!!!!

Bjs,
Stella

Anônimo disse...

Nem parece meu velho Lee de sempre... Tá mudando mesmo! Bjos

Tabasco disse...

Onde eu assino???

Related Posts with Thumbnails