19 de nov de 2008

Requentar é viver: Lapsos do Criador - O Amor

ESSA HISTÓRIA DE Deus fazer o mundo em seis dias, além de ser conversa pra boi dormir, desencadeou uma série de aberrações que me levam a pensar se o prazo dado ao Pai não poderia ter sido um pouquinho maior. Por conta dessa pressa toda - e da rave celestial do 7º sol -temos que conviver com seres e sentimentos que tornam a vida humana patética e suscitam discussões profundas como uma noite de Big Brother.

Sempre que abundar por aqui, vou discorrer sobre cada um deles. Aposto que você, se não concordar de cara, ao menos vai se pôr a pensar a respeito.

Inauguro o rol de Lapsos do Criador com a maior mentira de toda a história da humanidade: o Amor.

Mais especificamente aquele 'amor' entre duas pessoas de famílias diferentes, que em nome dele deixam tudo em segundo plano. Isso exclui o sentimento que envolve a relação pais-filhos, irmãos e amizades verdadeiras (normalmente, dá para se contar os Amigos nos dedos de uma mão, ao longo de uma vida).

Prólogo explicado, peço ajuda aos entendidos para resumir o amor em poucas linhas:

Amor (Dics. Aurélio/Michaelis)

1. Sentimento que impele as pessoas para o que se lhes afigura belo, digno ou grandioso.
2. Forte inclinação, de caráter sexual, por pessoa de outro sexo.
3. Afeição, grande amizade.
4. Objeto dessa afeição.
5. Benevolência.
6. Caridade.
7. Coisa ou pessoa bonita, preciosa.
8. Filos. Tendência da alma para se apegar aos objetos.

Compl.: A palavra amor advém do verbete latino amore, que pode ser literalmente traduzido por afeição, amor, vivo desejo. Também é associado a palavras que representam desejo, satisfação, conquista e libido.

Ora, ora... Será uma coincidência a palavra amor estar quase sempre relacionada a desejo, conquista e libido? Não seria nesse caso mais cabível o emprego da palavra Tesão? Ou quem sabe a Paixão, sentimento tão comumente confundido com o amor? "O furacão é a paixão; a calmaria é o amor". Alguém aí guenta viver todo santo dia na marola?

"Eu te amo". A frase que consolida uma relação pode ser interpretada de várias formas. Se vinda do rapaz para a moça, pode significar: 'você pode confiar em mim', 'gosto de sua companhia', 'você me faz bem' ou, na maioria dos casos, um sincero 'quero te comer'. Simples assim.

Quando vem de lá pra cá, o significado muda um pouco. Normalmente mais sentimentais, as moças soltam as três palavras para dizer que 'eu confio em você', 'eu sou louca por você', 'logo, logo você vai conseguir o que quer, danadinho'. Ou, quase que inconscientemente, o fatídico 'quero casar com você. You are the one!'

Reparou que todos os significados aqui atribuídos remetem a um sentimento de posse?

A aliança é um exemplo físico que comprova isso. Antes usada apenas entre os casados, o adereço passou a fazer parte dos noivados, namoros e até dos que (pasmem) 'ficam'. A coleira dourada (agora também na versão prateada), além de auto-afirmar seus adeptos, inibe a ação de boa parte da concorrência e traz até o nome do 'dono' do lado de dentro. Coidelôco!

O calendário, os estabelecimentos e outros artifícios do mundo capitalista*, voltados para os pombinhos, são outros fatores que levam meninos e meninas de todas as idades a procurarem incansavelmente a tampa de sua panela. Como se ela precisasse ser fechada para evitar um certo vazamento...

*Justiça seja feita, não é nada fácil atravessar um inverno rigoroso, um Dia dos Namorados e um filme do Hugh Grant ou da Meg Ryan sem ter ao menos alguém para dar uma ligadinha.

Acredito na vontade, no desejo, na admiração, no respeito, no 'querer bem'. Agora, no amor? Bah! Se ele existisse MESMO, como alguns ainda insistem em crer/pregar, 7 entre 10 casamentos não iriam pro limbo antes de completada a primeira década de união. E os 3 casais restantes não confessariam, pedindo sigilo em sua identidade, que estão juntos pela amizade e carinho que criaram ao longo dos anos, e 'pelo bem das crianças'.



7 comentários:

Marion disse...

Jo-jo, acho que á na hora de você deixar o Nietzsche e esses outros caretas/carentes um pouquin de lado. Vc precisa é de um cafuné e um colinho, fofo!

Vince disse...

WHY CAN'T WE GIVE LOVE THAT ONE MOOOOOOOORE CHAAAAANCE?????

Ana disse...

Ahhh, Renato!
"Amor vem de amor". Ciúme é egoísmo, não amor. Aliança é só um símbolo que, para mim, também não significa muita coisa. Assim como dia dos namorados ou qualquer outra data que o mercado tenha inventado.

Acredito que o amor seja um sentimento puro e belo, o problema é o que vem junto com ele, na maioria das vezes....a convivência, o ciúme, a posse, o tédio.

Bom, sei lá também...rs!

Hummm....coloquei a indicação do seu blog lá no "Meninas de Lá" (e não superpoderosas....hahaha)!!
Tenho entrado pouco no msn, mas vou entrar mais pra gente prosear!!!!

beijos,
Ana.

Nathália Rodrigues disse...

Apesar de gostar do Vince, eu te amo calzone hahahahahaha

Vickye disse...

Jo-jo, vc já teve uma grande decepção amorosa, picurrucho???

Anônimo disse...

Concordo com o Vickye, acho q você teve uma ou várias decepções amorosas...por isso tanto rancor!
Mas com certeza um dia ele aprende a amar e tomara que seja logo!

Tony disse...

Eu concordo com tudo que tá aí. O amor é uma ilusão, nada menos, nada mais.

Related Posts with Thumbnails