8 de dez de 2008

6-3-3

SE O FLAMENGO não tivesse vendido Renato Augusto, Souza e Marcinho...
Se o Cruzeiro não tivesse exportado o endiabrado Marcelo Moreno...
Se o Palmeiras não tivesse perdido Henrique e Valdívia para os euros e petrodólares...
Se o Grêmio fizesse um esforço maior pra segurar Roger...

Como até a vó Celita sabe que o se não vai sequer pro banco de reservas, o time que cortou o agourento do elenco sagrou-se campeão. Mais uma vez!

Pela incompetência de seus adversários - e por contar com o melhor treinador do país na atualidade - o São Paulo Futebol Clube é, merecidamente, équissa-campeão brasileiro.


Rogério mostra o número de títulos: já não cabe mais em uma mão

Ora, se o Flamengo comemorou antes da hora, Muricy, Rogério e tropa souberam manter a humildade e construir o caminho do hexa tijolo por tijolo.

Se o Cruzeiro não sabia o que fazer com a bola fora de casa, Rodrigo, André Dias e Miranda, auxiliados por Jean e Hernanes, faziam um ferrolho quase intransponível quando o São Paulo jogava longe de seus domínios.

Se o Palmeiras tropeçou na arrogância colossal de seu técnico, que chegou ao ponto de comentar um jogo na tevê enquanto seu time levava uma biaba em campo, do outro lado do muro não faltou cobrança, concentração e respeito ao treinador que prefere o trabalho aos flashes.

Se o Grêmio tinha um time titular arrumadinho, mas sofria com um banco sem criatividade, o tricolor paulista tinha Ânderson, Zé Luís, Junior, Éder Luís e André Lima, atletas que seriam titulares absolutos em todas as equipes que se classificaram para a Sul-Americana.

O rugido da vitória do leão Muricy: menção a Minelli e Telê

E se as diretorias dos adversários não têm lábia para trabalhar nos bastidores, o board são-paulino sabe como poucos manejar o tabuleiro do Banco Imobiliário da bola - a ponto de transferir a ‘final’ para Brasília, invertendo o mandante da partida que decidiu o campeonato.

- Pô, mas também não é assim, né? O Tricolor tem méritos na bola também!!!!

Claro que tem, Pedro Bó. Não fossem a fase esplendorosa do múltiplo Hernanes e do subestimado Borges, a segurança e seriedade do trio de zaga, a ressurreição de Joílson e Hugo, a malemolência de Dagoberto, a precisão cirúrgica da canhota de Jorge Wagner e a liderança positiva que exercem – e não impõem - Rogério Ceni e Muricy Ramalho, o São Paulo, assim como seus adversários, teria ficado pelo caminho.

Dejà vu: capitão levanta mais uma para a coleção do Morumbi

Um amigo dos tempos de 3 dentro, 3 fora, tricolor até o nick do MSN, diz que o sonho dele é ser vice. Pelo andar do Pau de Arara, vai continuar no sonho, meu caro Padulove.


Ô, dó!

Uma pena o Vasco ter caído justo quando Eurico Corleone Miranda pendurou a garrucha. Agora é juntar os cacos, seguir o exemplo corintiano e voltar de cabeça erguida – e pela porta da frente.




* As imagens, com excessão daabertura- homenagem do Habib's, foram retiradas do site www.globoesporte.com



5 comentários:

Thiago Padula disse...

E rumo ao 6-6-6!

Marion disse...

VAMO SÃO PAULO VAMO SÃO PAULO
VAMO SER CAMPEÃOOOOOOOOO!!!!!!

Tony disse...

Quem abriu a porta da creche pra essa semi-analfabeta?

Nathália Rodrigues disse...

07/12/08 - segunda parada gay do ano!

Anônimo disse...

Se o Palmeiras tropeçou na arrogância colossal de seu técnico, que chegou ao ponto de comentar um jogo na tevê enquanto seu time levava uma biaba em campo, do outro lado do muro não faltou cobrança, concentração e respeito ao treinador que prefere o trabalho aos flashes. ²

Dari

Related Posts with Thumbnails