8 de set de 2009

Aaaai, Hitler!

SE A INTENÇÃO DA AGÊNCIA ALEMÃ das comitee era gerar polêmica, a missão foi cumprida com louvor. Com o desafio de criar uma campanha impactante para a jornada mundial contra a AIDS, os alemães acabaram por cutucar a casquinha de uma ferida ainda não cicatrizada e chocar o mundo com cartazes inusitados e um vídeo no mínimo curioso.

Os cartazes trazem a imagem de 3 ex-ditadores pesos pesados - o alemão Adolf Hitler, o iraquiano Saddam Hussein e o soviético Joseph Stalin - fazendo sexo selvagem com jovens garotas. Completa as peças a frase: "A AIDS é um assassino em massa", alusão aos feitos inglórios do trio em questão.

Já o vídeo, que você assiste clicando aqui (quando o site abrir, clica em 'Campaign'), traz 30 segundos de sexo picante, à meia-luz, entre uma linda moça e o nazista alemão. Depois dos amassos e cutucos, a câmera fecha nas feições diabólicas de Hitler, ao que aparece o slogan da campanha seguido por um "proteja-se".

Como não poderia ser diferente, milhares de blogueiros, entidades e ONG's mais xiitas caíram de pau na campanha, chegando a pedir para tirá-la do ar. Não acho que seja para tanto. Mas que foi uma idéia infeliz, isso foi.

Primeiro porque traz de volta à terra 3 caixões que o mundo enterrou a uma profundeza abissal, tamanho o estrago que o trio fez em suas passagens pelo mundo. Imagine como seria recebida uma campanha nacional com Médici, Geisel e Vargas em posições análogas?

Depois, porque associa um simples ato sexual à AIDS, como se o sexo com prazer fosse proibido, assassino. As imagens e o vídeo beiram a uma idéia de estupro permitido e apreciado, numa concepção que só faz sentido real nas cabeças que conceberam a campanha.

E finalmente porque condena impiedosamente as milhões de pessoas que possuem o vírus. Se quem não pegou tem que tomar cuidado com o tal assassino em massa, o que dizer dos menos afortunados que contraíram o HIV de diversas formas, muitas vezes involuntárias e sem sexo no meio? Já estão assassinados?

Concordo que não é nada fácil para uma agência criar para um tema tão controverso e polêmico. Mas um pouco de sensibilidade, bom senso - e camisinha - nunca é demais.




6 comentários:

Vince disse...

É isso ae, dr. Jairo Bauer!!!!!

jaH*star disse...

a campanha é boa para a prevenção, choca, sensibiliza... realmente não levaram em consideração as pessoas que "não tem culpa" de ter adquirido o virus. Mas eu achei mto boa, ainda mais hoje em dia, quando coisas que nao geram polemica nao conseguem atingir a sociedade...

jaH*star disse...

a campanha é boa para a prevenção, choca, sensibiliza... realmente não levaram em consideração as pessoas que "não tem culpa" de ter adquirido o virus. Mas eu achei mto boa, ainda mais hoje em dia, quando coisas que nao geram polemica nao conseguem atingir a sociedade...

Tabasco disse...

Também gostei da campanha, acho que os caras foram bem felizes nas 'personalidades' escolhidas.

Se a idéia era impactar e gerar vuco-vuco, não poderiam ter feito melhor!

Anônimo disse...

Para que eu pudesse discutir um tema como esse, certamente envolveria meus princípios bíblicos, e isso não cabe aqui. Não agora.

oO"

→Poderia apontar a campanha como impactante, já que era esse o objetivo, mas acho que faltou algo para que este suposto impacto fosse positivo.
Uma abordagem assim, tão ousada com figuras que remetem tristeza, causa repudio, não?
Não acho que o sexo saudável foi denegrido no contexto, mas penso que a doença transmitida pelo ato sem prevenção ficou sem foco.
Mas uma coisa é certa, um assunto que, infelizmente, se tornou 'batido' precisa ser lembrado assim. Caso contrário fica só no 'previna-se' mais visto - aqui no Brasil - em dias de carnaval!

Dari

Kookie disse...

Gostei muito da campanha, choca, chama a atenção; o tema pede.
Claro q é controverso, mas pra mim a mensagem é clara e simples:

"Cuidado ao se entregar a alguém, vc nunca sabe ao certo quem é, o que traz, portanto, previna-se."

Só isso. Publicidade é polêmica. Gerou polêmica. Sucesso total!

Related Posts with Thumbnails